Relatório mensal divulgado hoje pelo Banco Central mostra que as contas públicas amargaram novos recordes negativos

selo

Relatório mensal divulgado hoje pelo Banco Central mostra que as contas públicas amargaram novos recordes negativos. O pagamento de juros em agosto, por exemplo, foi o mais elevado para o mês desde o início da série, em 2001. No mês passado, foram desembolsados R$ 15,698 bilhões para pagamento aos credores da dívida. Também foram recordes os valores desembolsados no acumulado do ano (R$ 123,796 bilhões) e em 12 meses (R$ 184,626 bilhões).

O chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, explicou que o pagamento de juros aumentou por uma série de fatores, como a apropriação de juros à dívida pública, elevação da participação de títulos prefixados, o fim da rentabilidade gerada pelos contratos de swap cambial (que geraram receita em 2009) e a inflação.

Ele citou como exemplo o fato de que de janeiro a agosto de 2009 os contratos de swap geraram receita de R$ 3,2 bilhões aos cofres do Tesouro Nacional. Em 2010, não houve ganho financeiro. Outro exemplo é a inflação, que remunera parte relevante dos títulos públicos. De janeiro a agosto de 2009, o IPCA teve alta de 2,97%. Em igual período de 2010, a inflação já está em 3,14%. No IGP-M, a oscilação é ainda maior: de uma deflação de 2,02% para alta de 6,66% entre os dois anos.

Outro recorde foi registrado no déficit nominal do mês passado, que somou R$ 10,476 bilhões, o pior saldo para os meses de agosto desde o início da série histórica. Em oito meses, o rombo soma R$ 76,015 bilhões e atinge R$ 115,804 bilhões no acumulado em 12 meses. Nos dois casos, novos recordes históricos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.