Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Pacote de socorro dos EUA custará US$ 700 bi, diz proposta

WASHINGTON - Um pacote de ajuda ao setor financeiro de Wall Street que está sendo montado pelo governo de George W. Bush custará US$ 700 bilhões, segundo proposta legislativa entregue ao Congresso dos Estados Unidos neste sábado.

Redação com agências internacionais |

 

Acordo Ortográfico

Uma cópia da proposta, obtida pela Reuters, também pede para que o limite de dívida dos Estados Unidos suba para US$ 11,315 trilhões.

Membros do Congresso devem ser informados neste sábado sobre a proposta legislativa, que pode ser considerada pela Câmara dos Representantes e pelo Senado do país já na próxima semana.

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, declarou que o plano de seu governo para pôr fim à crise financeira é "grande porque o problema é grande".

"Direi a nossos cidadãos e continuarei lembrando a eles que o risco de não fazer nada é muito maior que o risco do pacote", acrescentou no momento em que o Congresso avalia a sua proposta.

Abaixo estão os principais pontos dos poderes que serão concedidos ao secretário do Tesouro dos Estados Unidos sob o projeto legislativo que está sendo discutido neste sábado por líderes do Congresso e principais autoridades do governo. Uma cópia da proposta foi obtida pela Reuters:

  •  Comprar qualquer ativo relacionado a hipoteca, tanto residencial como comercial, por um período de dois anos. Os tipos de ativos hipotecários que serão cobertos e por quanto tempo o governo poderá detê-los é deixado em aberto, assim como a forma como será atribuído o valor deles.
  • Até 700 bilhões de dólares em ativos hipotecários poderão ser comprados a qualquer momento.
  • Autoridade ampla garantida para decidir como adquirir, administrar e utilizar os ativos, incluindo a criação de um fundo e nomeação de instituições financeiras para trabalhar para o Departamento do Tesouro.
  • Os ativos devem ter sido originados ou emitidos antes de 17 de setembro de 2008, por um banco ou instituição financeira com sede nos Estados Unidos.
  • O secretário do Tesouro será contemplado com esses poderes para garantir a estabilidade ou prevenir a quebra de mercados financeiros e proteger os contribuintes.
  • Nenhum tribunal ou agência governamental poderá examinar as decisões do secretário. O secretário prestará contas ao Congresso nos três primeiros meses e depois, duas vezes ao ano.
  • O limite da dívida norte-americana será aumentado em 700 bilhões de dólares para financiar o plano, para 11,315 trilhões de dólares ante o limite atual de 10,615 trilhões de dólares.

(Com informações da Reuters e AFP)

Serviço 

 

Mais notícias

Para saber mais

Opinião

Leia tudo sobre: pacote

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG