Londres, 30 jul (EFE).- A Oxfam acusou hoje os países ricos pelo último fracasso da rodada de comércio de Doha, que prejudicará os povos mais pobres do planeta, cada vez mais vulneráveis.

"Os países ricos deveriam ter exibido a liderança política necessária para realizar reformas capazes de reduzir a pobreza, mas se limitaram por outro lado a defenderem seus velhos interesses", afirmou o diretor internacional desta ONG, Jeremy Hobbs.

"É uma nova oportunidade perdida de reforma do comércio mundial muito necessitada pelos países pobres, aos quais também se prometeu a eles. Os ricos descumpriram a palavra dada", acrescenta Hobbs, citado em comunicado da organização.

"Seria degradante culpar os países pobres de não terem alcançado um acordo (em Genebra). Caso a União Européia e os Estados Unidos tivessem feito ofertas significativas em cumprimento de suas promessas, teria havido progressos", critica o diretor da Oxfam.

"Ao contrário disto, exigiram dos países em desenvolvimento grandes concessões em troca de reformas em boa parte ilusórias e promessas de flexibilidade limitada", declarou Hobbs.

A Oxfam elogia "a determinação" mostrada pelos países em desenvolvimento, que se negaram a aceitar um acordo prejudicial e "se mantiveram unidos" apesar de estarem submetidos a "pressões injustas".

"As ofertas em matéria de agricultura dos países desenvolvidos eram inadequadas e também estavam condicionadas a (que os países em desenvolvimento) fizessem grandes concessões no setor industrial", afirmou a entidade.

"Em um momento de forte volatilidade de preços, os países em desenvolvimento fizeram bem em lutar a favor de que lhes concedessem flexibilidade suficiente para defender seus pequenos agricultores e garantir a própria segurança alimentar", conclui o comunicado. EFE jr/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.