Teste realizado pela Pro Teste Associação de Consumidores com 30 ovos de Páscoa - 13 deles voltados ao público infantil - revelou que todos os produtos, independentemente da faixa etária a que se destinam, contêm teores elevados de açúcar e gordura saturada e deveriam ser evitados por menores de 3 anos. A boa notícia é que todos estavam livres de gordura trans e apresentaram valores de colesterol considerados não preocupantes.

O campeão de açúcar e gordura foi a marca Top Milk, da Top Cau (63g de açúcar e 27,9g de gordura em 100g). Em segundo lugar está o Kopenhagen ao Leite (59,64g de açúcar e 22,2g de gordura saturada em 100g). Os dois foram considerados não recomendáveis tanto para adultos quanto para crianças de qualquer faixa etária.

Na análise, a Pro Teste considerou que a porção de 25g do produto não poderia ultrapassar 20% do limite diário recomendado para cada faixa etária. Todas as marcas apresentaram teores acima do ideal para crianças menores de 3 anos e apenas o Sonho de Valsa, da Lacta, que não é diretamente voltado ao público infantil, foi considerado aceitável para ser moderadamente consumido por maiores de 4 anos.

"Para os acima de 7 anos, há mais opções, sempre lembrando que o consumo deve ser restrito à Páscoa, não deve ser um hábito, pois não é saudável", alerta a nutricionista Manuela Dias.

"Não queremos estragar a Páscoa de ninguém, apenas ressaltar que os adultos precisam dar o exemplo de moderação, pois é na infância que se adquirem os hábitos alimentares para a vida toda", diz a supervisora institucional da Pro Teste, Ana Luisa Ariolli. "Se a criança ganhar vários ovos, recomendamos aos pais que não as deixem comer tudo de uma vez."

Segundo Ana Luisa, o objetivo da Pro Teste é chamar a atenção para a necessidade de se criar normas que limitem os teores de gordura e açúcar nos alimentos. "A indústria pode definir como bem entender as quantidades em seus produtos, pois não há parâmetro legal. E isso está ligado ao aumento dos índices de obesidade infantil e ao surgimento precoce de doenças como diabete e hipertensão", analisa.

As marcas Nestlé Surpresa Moranguinho e Rei do Futebol, daArcor, foram reprovadas por trazerem brinquedos sem o selo de aprovação do Inmetro.

A Nestlé e a Arcor informaram por meio de nota que os brindes oferecidos (um batom e uma corneta, respectivamente) não se enquadram na categoria de certificação obrigatória.

A Kopenhagen informou que qualifica toda a sua linha de produtos conforme a legislação vigente e criticou o fato de a Pro Teste ter "misturado produtos de diferentes categorias, como recheados, trufados, crocantes e alcoólicos". A Top Cau não retornou até o fechamento da edição.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.