Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Oposição quer anular votação que aprovou Paulo Vieira para a ANA

SÃO PAULO - A oposição apresentou hoje à Mesa do Senado um pedido de cancelamento da votação que aprovou ontem o nome de Paulo Rodrigues Vieira para a diretoria da Agência Nacional de Águas (ANA). Apesar da aprovação ontem, a indicação já havia sido rejeitada pelo plenário em 2009. A tentativa de anular a sessão está sendo coordenada pelos senadores José Agripino (RN) e Arthur Virgílio (AM), líderes do DEM e do PSDB, respectivamente.

Valor Online |

SÃO PAULO - A oposição apresentou hoje à Mesa do Senado um pedido de cancelamento da votação que aprovou ontem o nome de Paulo Rodrigues Vieira para a diretoria da Agência Nacional de Águas (ANA). Apesar da aprovação ontem, a indicação já havia sido rejeitada pelo plenário em 2009. A tentativa de anular a sessão está sendo coordenada pelos senadores José Agripino (RN) e Arthur Virgílio (AM), líderes do DEM e do PSDB, respectivamente. Os dois afirmaram que não se recordavam de que a indicação de Vieira tinha sido rejeitada anteriormente. Além disso, ambos não descartaram a possibilidade do ocorrido ter sido um ato de"possível deslealdade", do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que colocou a indicação em votação, sabendo que os senadores já haviam rejeitado o nome de Vieira. "Não havia nenhuma justificativa para que essa matéria voltasse ao plenário", afirmou Agripino."Para surpresa de todos, a proposição rejeitada foi arbitrariamente colocada novamente em votação na sessão deliberativa de ontem. Trata-se de uma ilegalidade jamais vista na história desta Casa Legislativa", reforçou Virgílio. No dia 16 de dezembro de 2009, o Senado rejeitou após duas votações a escolha de Vieira, indicado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na época, o senador Magno Malta (PR-ES) protestou e recorreu à Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Então, no dia 3 de fevereiro de 2010, a CCJ respondeu ao pedido de Magno Malta e aprovou parecer do senador Demóstenes Torres (DEM-GO), que avaliou como improcedente o recurso que pedia a repetição da votação. (Fernando Taquari | Valor)
Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG