Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Operação de crédito consignado cai pela metade, diz INSS

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) informou hoje que, em setembro, foram fechadas 77,3 mil novas operações de crédito consignado (com desconto em folha), apenas a metade do número de agosto (154,7 mil). Em volume financeiro, foram R$ 172 milhões no mês passado, contra R$ 253 milhões no mês anterior.

Agência Estado |

Os números se referem às operações tanto na modalidade tradicional quanto por meio de cartão de crédito pelos aposentados e pensionistas nos bancos. O presidente do INSS, Marco Antonio de Oliveira, afirmou, entretanto, que ainda é cedo para atribuir a queda aos efeitos da crise internacional no Brasil. "Somente no próximo balanço, relativo ao mês de outubro, isso poderá ficar mais claro", afirmou Oliveira.

No entanto, ele admite ser "provável" que a crise, ao afetar o comportamento do crédito em geral no País, impacte também as operações com os segurados do INSS, embora seja pequeno o risco de inadimplência. De acordo com as estatísticas, de maio de 2004 - quando foi criada a modalidade de crédito - até setembro passado, somam 14,91 milhões as operações ativas, ou R$ 23,51 bilhões em empréstimos. Desde 2004, pouco mais de 9,3 milhões de aposentados e pensionistas fizeram uso do crédito consignado.

O crédito consignado do INSS tem juros tabelados em no máximo 2,5% ao mês na modalidade de empréstimo tradicional e 3,5% ao mês no formato cartão de crédito consignado. Por causa do teto de juros, essa modalidade de crédito é avaliada uma das mais baratas do mercado. Para o INSS, os aposentados e pensionistas que tomam o crédito têm demonstrado cautela ao contratar os empréstimos, pois, em setembro, quase 37% dos tomadores acertaram a liquidação do crédito em no máximo seis parcelas. Uma pequena parcela de 5,4% dos tomadores fechou contratos com prazos superiores a 48 parcelas. A média dos empréstimos, segundo o levantamento do INSS, é de R$ 1.577, e os beneficiários que recebem até um salário mínimo são responsáveis por 60,6% das operações e por 44,49% do dinheiro utilizado.

Mais notícias

 

Para saber mais

 

Serviço 

 

Opinião

 

Leia tudo sobre: crédito

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG