Uma operação que a Prefeitura do Rio quer reverter contrasta com esse ambiente de maior controles nos fundos de pensão. Trata-se de um investimento de cerca de R$ 60 milhões feitos pelo Fundo de Previdência do Município do Rio de Janeiro (Funprevi) por meio da gestora Aster Asset Management em títulos da empresa Casual Dining Participações, criada para ser uma holding de 14 restaurantes.

Uma operação que a Prefeitura do Rio quer reverter contrasta com esse ambiente de maior controles nos fundos de pensão. Trata-se de um investimento de cerca de R$ 60 milhões feitos pelo Fundo de Previdência do Município do Rio de Janeiro (Funprevi) por meio da gestora Aster Asset Management em títulos da empresa Casual Dining Participações, criada para ser uma holding de 14 restaurantes. Ambas foram criadas no ano passado. No balanço de 2009, a companhia de restaurantes informava ter patrimônio líquido negativo de R$ 49.098, ainda sem as participações. "Não há irregularidade de nossa parte e a Prefeitura não pode alegar fraude para encobrir alguma falha deles", diz o diretor de Relações com Investidores da Aster, José Eduardo Assunção, e que ocupava o mesmo cargo na Casual Dining segundo o site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ontem. Assunção referia-se à suspeita de que o investimento foi decidido isoladamente por dirigentes do fundo de pensão, sem aprovação do conselho do Instituto de Previdência do Rio (Previ-Rio).
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.