Na tentativa de frear o que considera uma queda alarmante nos preços do petróleo, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) decidiu nesta sexta-feira cortar a produção de petróleo em 1,5 milhão de barris diários, com objetivo de reequilibrar os mercados globais da matéria-prima. O ministro do Petróleo da Arábia Saudita, Ali Naimi, afirmou que o corte terá efeito a partir de 1º de novembro, mas alguns países membros do grupo disseram que o efeito será imediato.

Naimi se recusou a detalhar que volume de redução a Arábia Saudita suportaria. O reinado é de longe o maior produtor da Opep.

Naimi afirmou que a organização não discutiu a criação de planos de contingência para uma possível nova redução da produção no caso de os preços continuarem caindo, mas disse que o grupo está aberto para todas as opções desde agora até sua próxima reunião, em dezembro, na Argélia. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.