Os ministros da Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) iniciaram nesta quarta-feira uma reunião extraordinária na Argélia, que deve terminar com um corte recorde da produção do cartel, com o objetivo de estimular os preços.

O ministro do Petróleo saudita e líder de fato do cartel, Ali al-Naimi, afirmou na terça-feira que a reunião deve terminar com uma redução de dois milhões de barris diários (b/d) sobre a cota oficial de 27,3 milhões de b/d.

A esta redução devem se unir um corte de 300.000 b/d da Rússia e outros 300.000 de b/d do Azerbaijão, que não pertencem à Opep mas estão presentes na reunião de Oran.

Leia mais sobre petróleo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.