Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Opep reduz previsão de demanda de cru no contexto de recessão

A Opep (Organização dos países exportadores de petróleo) reduziu fortemente de 0,64% para 0,33% sua previsão de alta da demanda de cru no mundo em 2008, após as expectativas anunciadas de recessão econômica em inúmeros países industrializados.

AFP |

Em seu relatório mensal de novembro, publicado em Viena, o cartel também revisou em baixa sua previsão para 2009, apostando numa alta de 0,57% da demanda, contra o aumento de 0,87% previsto no relatório de outubro.

"A crise financeira dominou o mercado e o desaquecimento econômico derrubou a demanda de cru", resumiu a organização, em seu relatório mensal mais recente.

Segundo ele, é quase certo que os países mais ricos da OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômicos) estão agora em fase de recessão sincronizada e que o resto do mundo está sendo mais duramente atingido do que esperávamos.

No relatório deste mês, a Opep também lamentou o fato de os preços estarem caindo muito.

"Em razão de uma queda da demanda de cru nos países da OCDE, a demanda mundial de cru para 2008 foi revisada em baixa de 260.000 barris por dia, registrando uma fraca alta da demanda de 280.000 barris por dia", destacou a Opep.

Para 2008, a Opep espera no entanto sobre uma demanda de 86,19 milhões de barris por dia contra 86,45 milhões de barris por dia anunciadas em outubro.

Para o ano que vem, a nova previsão é de 86,68 milhões de barris por dia, ou seja, 530.000 barris por dia a menos que a estimativa publicada em outubro.

"A queda dos preços pode favorecer a demanda no quarto trimestre de 2008 até um certo ponto, mas esperamos que isto compense os efeitos do desaquecimento econômico, destacou o relatório do cartel.

Segundo ele, com a forte queda do consumo de combustíveis para os transportes, o consumo de cru na indústria petroquímica também caiu fortemente.

Com as previsões econômica negativas para 2009, com um recuo previsto do crescimento econômico mundial a 2,9% do Produto Interno Bruto (PIB) essencialmente devido às previsões de recessão nos países mais ricos, o relatório afirmou que o essencial da alta do cru no próximo ano virá dos países do Oriente Médio, da Ásia e da China.

Diante da queda contínua dos preços do cru, o cartel convocou uma nova reunião ministerial de urgência em 29 de novembro no Cairo, cujos analistas esperam o anúncio de uma nova redução da produção.

A decisão anterior de cortar a produção em 1,5 milhão de barris por dia na reunião extraordinária de 24 de outubro em Viena não teve os efeitos esperados.

"Em outubro o preço da cesta de cru da Opep caiu quase 29%, a uma média de 69,16 dólares o barril, a mais forte baixa registrada em um mês", destacou o relatório. Em 14 de novembro o preço da cesta caiu abaixo dos 50 dólares, a 49,09 dólares.

No mercado, o preço do barril de petróleo perdeu mais da metade de seu valor recorde de 147,50 dólares atingido em 11 de julho em Nova York.

gg/lm

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG