Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Opep quer reduzir produção e conta com o apoio da Rússia

A Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) está prestes a conter sua produção, depois que seu secretário-geral destacou nesta segunda-feira a necessidade de uma redução significativa, e o cartel espera receber o apoio da Rússia em seus esforços para estabilizar os preços da commodity.

AFP |

"Todo mundo é favorável a uma redução (da produção), não tenho nenhuma dúvida sobre isso", afirmou o presidente da Opep, Chakib Khelil, ao chegar em Oran, no litoral argelino, dois dias antes da reunião convocada para quarta-feira.

Ele se disse "muito pessimista" sobre a demanda e ressaltou a existência de um excedente no mercado de 400 milhões de barris.

O presidente do cartel, no entanto, não quantificou a redução necessária, mas analistas apostam num corte de 1,5 a 2 milhões de barris por dia.

O Irã, segundo produtor da Opep, revelou neste domingo suas intenções: "Nós vamos pedir uma redução de 1,5 a 2 milhões de barris por dia", declarou o ministro do Petróleo, Gholam Hossein Nozari.

O secretário-geral do cartel, Abdallah el Badri, declarou que o mercado precisa de uma "redução de envergadura da produção, por causa dos estoques muito elevados precisamos retirar do mercado".

"A situação é muito difícil, precisamos agir", afirmou.

Os preços do petróleo perderam mais de 70% de seu valor desde os recordes do verão (Hemisfério Norte) do ano passado, de quase 150 dólares, passando até abaixo dos 40 dólares no início de dezembro. Estes preços não permitem mais aos produtores de cobrir seus gastos de produção e equilibrar suas finanças.

Confirmando propósitos recentes do rei Abdallah da Arábia Saudita, Khelil indicou que um preço de 75 dólares o barril era "bom para todo o mundo", produtores e consumidores.

Mas a Opep, que fornece 40% da produção mundial, se dirigiu também a outros países produtores. "Esperamos que os países não-membros da Opep dêem sua ajuda", declarou El Badri.

O presidente da Opep espera em particular o apoio da Rússia, que produz 12,6% de cru. Uma importante delegação, composta principalmente pelo vice-primeiro-ministro russo e do ministro da Energia, deve chegar terça-feira a Oran.

Segundo o presidente da companhia de petróleo russa Lukoïl, a Opep deseja que a Rússia reduza sua produção de petróleo em entre 200.000 e 300.000 barris por dia, se ela se juntar Às decisões esperadas quarta-feira.

O cartel se reunirá na quarta-feira, em Oran, na expectativa de reduzir novamente suas cotas oficiais de produção, atualmente fixadas em 27,3 milhões de barris diários (mbd).

blb-ded/lm

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG