Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Opep prevê que demanda petróleo cairá em 2009 por causa da crise

Viena, 16 dez (EFE).- A crise econômica mundial fará com que o consumo mundial de petróleo seja de cerca de 150 mil barris a menos que em 2008, anunciaram hoje os analistas da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) em seu mais recente relatório mensal sobre o mercado petroleiro.

EFE |

Assim, a Opep fala pela primeira vez de um crescimento negativo (-0,18%) da demanda petrolífera mundial.

Em seu anterior relatório de novembro, os analistas da Opep, que produz 40% do petróleo mundial, ainda previram um aumento do consumo de 0,57%, ou seja, quase 500 mil barris diários.

Agora, o cartel indica que "se estima que a piora das economias nos países (industrializados) da OCDE reduzirá o consumo total de petróleo no mundo em 150 mil barris diários, 0,2%, no ano de 2009, até alcançar uma média de 85,7 milhões de barris por dia (mbd)".

Especialmente na primeira metade do próximo ano, as nações mais industrializadas reduzirão sua demanda de petróleo em 1,3 mbd.

A Opep adverte que, se a economia mundial "mostrar mais deterioração e o inverno for mais quente que o esperado, a demanda de petróleo poderia manifestar um maior retrocesso".

O cartel menciona que, nos EUA, o maior consumidor energético do planeta, o ano de 2009 trará uma queda do uso de gasolina, devido à nova tendência de comprar veículos menores, e do combustível derivado do petróleo industrial, diante da generalizada redução da produção.

Enquanto Estados Unidos, Europa e outros países desenvolvidos reduzem sua demanda, a China e o Oriente Médio aumentarão o consumo em 3,92% e 3,57%, respectivamente.

Para o atual ano, os cálculos falam também de queda da demanda, que fica fixada em 85,83 mbd, 0,4% a menos que o anunciado no relatório de novembro, o que equivale a uma queda mínima de 0,08% (70 mil barris diários) em relação a 2007.

Os técnicos do cartel com sede em Viena insistem, em seu relatório de dezembro, que a entrada em recessão econômica de várias nações "disparou os temores de uma maior queda da demanda de petróleo", o que fez com que o preço do barril de referência da Opep continuasse caindo em dezembro.

Sobre a oferta, o grupo petroleiro anuncia que seus concorrentes extrairão, em 2009, um total de 50,22 mb/d, 640 mil a mais que este ano, mas 110 mil a menos que o previsto há um mês.

Tendo em conta o fornecimento de gás natural liquidificado e de petróleos não convencionais, esses números deixam a demanda de petróleo da Opep para 2009 em 30,2 mbd, o que significa 1,4 milhão de barris diários a menos que em 2008.

Amanhã, os membros do cartel se reúnem em Oran (Argélia) para decidir um corte de sua atual cota de extração, fixada agora em 27,3 mbd (sem incluir Iraque e Indonésia), para ajudar a conter a queda dos preços. EFE as-jk/an

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG