Oran (Argélia), 16 dez (EFE) - O secretário-geral da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), o líbio Abdala el-Badri, declarou hoje que a organização espera uma redução da oferta de entre 500 mil e 600 mil barris diários por parte das nações que não fazem parte do cartel.

Em declarações aos jornalistas no hotel que sediará a 151ª Conferência Ministerial da Opep, Badri afirmou que a redução de dois milhões de barris por parte dos membros da organização "é a mais provável".

"Eu gostaria de uma redução de pelo menos 500 mil ou 600 mil barris diários" dos países não membros da organização, disse o secretário-geral.

Quatro países produtores não membros da Opep, que produz cerca de 40% do total mundial, foram convidados à reunião extraordinária de Oran: Azerbaijão, Síria, Omã e Rússia.

Este último país, que produz 12,6% do total, deslocou uma grande delegação à capital do litoral oeste mediterrâneo argelino liderada pelo vice-primeiro-ministro, Igor Sechin.

Sechin declarou hoje que a Rússia estaria disposta a reduzir até 350 mil barris diários se a situação do mercado continuar piorando.

Badri afirmou que a contribuição russa à redução esperada por parte dos países não membros poderia se situar entre 350 mil e 400 mil barris diários. EFE jg/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.