Tamanho do texto

O presidente da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), Chakib Khelil, afirmou que o cartel poderá reduzir mais a produção de petróleo se os cortes adotados no mês passado não impulsionarem os preços da commodity. Khelil disse que um relatório da Opep irá mostrar no final do mês se todos os membros promoveram a redução diária de 1,5 milhão de barris decidida em outubro.

O presidente do cartel afirmou que espera que o corte da produção eleve e estabilize os preços em um nível administrável tanto para os países exportadores quanto para as nações consumidoras. Preços razoáveis devem variar "entre US$ 70 e US$ 90 por barril", disse Khelil.

Para ele, a recessão nos EUA e na Europa indica que a demanda por petróleo continuará caindo e as crescentes necessidades de energia na China e na Índia não serão suficientes para impulsionar os preços. Os países da Opep "irão, portanto, provavelmente continuar reduzindo sua produção para manter um equilíbrio entre oferta e demanda, pelo menos até o começo de 2009", disse Khelil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.