Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

OMC: europeus querem endurecer negociação agrícola

Um grupo de nove países europeus pediu que o comissário de Comércio da União Européia (UE), Peter Mandelson, seja mais duro na defesa dos agricultores do bloco nas negociações comerciais da Rodada Doha, em Genebra. A manifestação aconteceu depois que o presidente da França, Nicolas Sarkozy, e o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, criticaram a última proposta de acordo na Organização Mundial de Comércio (OMC).

Agência Estado |

Os nove países, chamados de Clube dos Voluntários, são França, Irlanda, Polônia, Hungria, Grécia, Portugal, Lituânia, Chipre e Itália.

Berlusconi manifestou preocupações com a "ausência de avanço" das negociações. Já o governo francês disse que não assinaria o pacto de livre-comércio nos moldes atuais, uma vez que ele não apresenta progressos em "questões essenciais". "Por muito tempo, a Europa tem obtido muito pouco dos países emergentes, como Índia, China e Brasil, em troca de suas concessões", afirmou o porta-voz do secretário de Desenvolvimento Econômico da Itália, Adolfo Urso.

A agricultura é um dos pontos mais críticos das discussões. A União Européia está sob forte pressão dos países emergentes para que reduza a proteção aos agricultores. Mandelson disse que as tarifas de importação agrícolas podem ser reduzidas entre 54% e 60%, dependendo dos produtos que forem incluídos na negociação. Mas o negociador europeu é visto com reservas em Paris, onde é considerado um "neoliberal" disposto a sacrificar a agricultura francesa para fechar o acordo. Segundo uma fonte da diplomacia, Sarkozy pediu que Mandelson viajasse para a capital francesa para explicar sua posição, mas o representante europeu teria negado.

Desde a segunda-feira passada, ministros de cerca de 35 países estão reunidos em Genebra para tentar fechar a Rodada Doha de liberalização comercial, iniciada em 2001. Qualquer decisão precisa ser aprovada por todos os 153 membros da OMC. Além disso, qualquer posição assumida pela União Européia precisa ser ratificada por seus 27 membros. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG