Tamanho do texto

Valor Online GENEBRA - A reunião de ministros para tentar um acordo agrícola e industrial na Organização Mundial do Comercio (OMC) tomou o rumo do fiasco. Pascal Lamy, diretor-geral da OMC, adiou a reunião ministerial que, a princípio, estava mais ou menos definida para ocorrer de 13 a 15 de dezembro.

As enormes divergências entre países exportadores e importadores agora fez Lamy tentar conversar mais uma semana com os principais países, na busca de reduzir os impasses.

A pressão é grande por parte dos EUA para que Brasil, China e Índia se comprometam com acordos específicos em alguns setores industriais, para acelerar a liberalização. Os três rejeitam a pressão.

A expectativa é de que Lamy decida até o final desta semana se vale a pena correr o risco de convocar o encontro ministerial com base nos textos de compromisso que foram divulgados no sábado.

Se houver espaço para negociação, Lamy pode convocar uma ministerial para começar no dia 17. Mas a opinião crescente é de que o "gato, que tinha subido no telhado, está escorregando feio agora", como frisou um embaixador. Pelo andar da carruagem, a Rodada Doha não acaba antes de 2012.

(Assis Moreira | Valor Econômico, para o Valor Online)