Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Oi só terá rede 3G em São Paulo no início de 2009

SÃO PAULO - A Oi fará sua estréia no mercado paulista de telefonia móvel no próximo dia 24, mas a rede de terceira geração (3G) da operadora não estará disponível antes do primeiro trimestre de 2009. A companhia também vai aguardar o início das operações de 3G para oferecer modens de acesso à internet em São Paulo, apesar da grande demanda que tem havido por esse tipo de produto. Mas o diretor da Oi para a região de São Paulo, Roderlei Generali, afirmou que não teme perder mercado por causa disso. Acreditamos que o timing do mercado está adequado.

Valor Online |

Nossa estratégia tem a ver com a qualidade dos serviços", destacou, numa teleconferência com jornalistas. "A Oi vai tomar mercado dos concorrentes."
A tecnologia de terceira geração proporciona maior velocidade na transmissão de dados, por isso, tem sido utilizada pelas teles para promover o acesso à internet por meio do celular ou de modens que se conectam ao computador. As operadoras têm interesse em estimular o tráfego de dados porque ele é mais rentável do que os serviços de voz.

A decisão da Oi de jogar para 2009 a entrada na 3G em São Paulo tem duas explicações, segundo Generali.

Uma delas é que a rede 3G no mercado paulista ainda não está completamente madura. "Precisamos fazer a sintonia fina", disse o executivo. No entanto, ele negou que a implantação da tecnologia esteja atrasada ou enfrente problemas.

Outro motivo apontado pelo diretor da Oi foi a opção por concentrar esforços na divulgação da chegada da operadora. "Falar também de 3G seria muita informação para um primeiro momento", observou.

A campanha publicitária sobre a estréia em São Paulo está programada para entrar no ar hoje à noite, na televisão.

A operadora chegará ao mercado paulista vendendo, inicialmente, chips de celulares pré-pagos. Quando a rede começar a funcionar, no dia 24, a Oi passará a comercializar também planos na modalidade pós-paga. Os serviços de telefonia fixa no Estado continuarão restritos ao segmento corporativo. Não serão estendidos a assinantes residenciais.

Portanto, a estratégia da Oi em São Paulo será bem diferente daquela que a companhia adota em sua área original de atuação, formada por 16 Estados do Sudeste, Nordeste e Norte. Nessas regiões, a operadora tira proveito do compartilhamento entre suas redes fixa e de celular para oferecer planos de serviços que combinam telefonia fixa, móvel e internet.

"Nossas tarifas serão sempre competitivas nos mercados em que estivermos", afirmou Generali, ao ser questionado sobre o assunto.

(Talita Moreira | Valor Econômico, para o Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG