RIO - A OGX Petróleo e Gás Participações e a OSX Brasil, duas empresas do grupo EBX, do empresário Eike Batista, fecharam na sexta-feira um acordo de cooperação estratégica e um contrato de afretamento de uma plataforma de produção do tipo FPSO (Floating Production Storage and Offloading). Em fato relevante, as companhias informaram que o acordo de cooperação estratégica estabelece um direito de prioridade recíproco , para a construção no Brasil, para o afretamento e a operação de unidades de produção da OSX, sempre em condições de mercado e dentro das especificações técnicas e prazos acordados visando atender à demanda da OGX.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237561401944&_c_=MiGComponente_C

"O acordo estabelece uma negociação do tipo 'open book' e margem alvo de remuneração pré-determinada da ordem de 15% na atividade de construção naval, da ordem de 5% na prestação de serviços de operação e manutenção e 15% de retorno alvo sobre o capital próprio alavancado na atividade de afretamento", destacou em nota.

Já o segundo acerto envolve o afretamento da plataforma OSX-1, pela sua proprietária OSX-1 Leasing BV, para a OGX. O FPSO OSX-1 teve a sua construção concluída no estaleiro da Samsung Heavy Industries Co. Ltd na Coreia do Sul e foi entregue à OSX-1 Leasing BV em 27 de janeiro deste ano. Nos termos do contrato de afretamento, o OSX-1 ficará à disposição da OGX, à taxa média de US$ 263 mil/dia, por 20 anos, contados a partir da conclusão das obras de customização da unidade às características técnico-operacionais da descoberta da OGX onde será alocada no Brasil.

O FPSO OSX-1 conta com capacidade instalada de produção de 80 mil barris por dia, expansíveis para 100 mil barris por dia, e de armazenagem de 950 mil barris. O OSX-1 encontra-se no mesmo estaleiro da Samsung, em preparação para iniciar sua customização para futura operação no Brasil.

A OGX Petróleo e Gás SA é a maior companhia privada brasileira no setor de óleo e gás em termos de área marítima de exploração, com aproximadamente 7 mil km², além de cerca de 21,5 mil km² em área terrestre. A empresa tem 29 blocos exploratórios nas Bacias de Campos, Santos, Espírito Santo, Pará-Maranhão e Parnaíba.

A OSX, que atua na construção naval, está em processo de pedido de registro de distribuição pública primária de ações ordinárias de sua emissão na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Leia mais sobre: OGX e OSX

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.