O grupo Odebrecht divulgou hoje uma nota oficial sobre a atual situação da empresa no Equador, dizendo que a execução das obras seguia em ritmo normal, apesar de faturas pendentes de pagamento por parte do governo, da ordem de US$ 50 milhões. De acordo com o site do jornal equatoriano El Comércio, o presidente do Equador, Rafael Correa, ordenou ontem a mobilização das Forças Armadas para confiscar os bens e as instalações da hidrelétrica San Francisco e dos outros projetos da construtora no país.

Em um decreto assinado hoje, Correa também proibiu executivos da Odebrecht de saírem do país.

Em nota, a Odebrecht diz que "a Central Hidrelétrica, construída pelo Consórcio Odebrecht - Alstom - Va tech, foi inaugurada em junho de 2007, com uma antecipação de 9 meses em relação ao prazo inicial previsto, gerando receita adicional ao governo equatoriano de mais de US$ 43 milhões, sem que o consórcio recebesse qualquer bônus por esta antecipação."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.