Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Odebrecht divulga condições que irá atender para ficar no Equador

SÃO PAULO - A construtora Norberto Odebrecht divulgou nota oficial nesta quarta-feira informando que aceitou todas as condições do Equador em relação às obras da Hidrelétrica de São Francisco. A empresa é responsável pelas obras no consórcio com a Alstom e a Va Tech.

Valor Online |

Entre as condições divulgadas nesta tarde pela empresa está a entrega de US$ 43,8 milhões para garantir eventuais responsabilidades.

O dinheiro ficará nas mãos de um fiel depositário até que seja avaliado por peritagem internacional independente, eventuais responsabilidades do consórcio que obriguem o pagamento de multas por paralisação e a devolução dos custos recebidos pela antecipação do prazo de entrega.

Segundo a companhia, a concordância com as exigências já foi enviada ao governo equatoriano, mas a companhia não informa se o país ainda está disposto a aceitar o cumprimento das condições. A lista prevê ainda o pagamento dos gastos com correção da obra, independentemente da apuração de responsabilidades. Além disso a companhia afirma aceitou ampliar por mais um ano a garantia contra defeitos das obras civis da hidrelétrica e por cinco anos as obras de reparo.

O comunicado da companhia informa também que a construtora vai transferir à contratante da obra, a Hidropastaza, a garantia adicional dos equipamentos.

Ontem o presidente do Equador, Rafael Correa, disse em Manaus que a empresa Odebrecht enviou um documento ao governo aceitando todas as condições que havia recusado antes. A disputa entre Quito e a empresa brasileira por conta do impasse provocado pelos problemas na hidrelétrica de São Francisco culminaram, na semana passada, com a expulsão da construtora do Equador.

"Eles não entenderam que nós não estávamos negociando. Estávamos exigindo Justiça", disse Correa ao final da reunião bilateral com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Eles não entenderam que desde janeiro de 2007 o país é outro. Vamos analisar o caso, mas em princípio a decisão segue de pé: a Odebrecht está fora do país."

Leia mais sobre Odebrecht

Leia tudo sobre: odebrecht

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG