Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Obama quer usar Tarp para evitar execução de hipotecas

O presidente eleito dos EUA, Barack Obama, disse que a segunda metade dos US$ 700 bilhões do Programa de Alívio de Ativos Problemáticos (Tarp, na sigla em inglês) do Departamento do Tesouro devem ser concentrados em evitar a execução de hipotecas de residências e ajudar no crédito a pequenas empresas e ao consumidor. Obama, que falou com os repórteres ao lado do presidente do México, Felipe Calderón, também disse que o Tarp deve ter mais prestação de contas e transparência.

Agência Estado |

Mais cedo, Obama pediu ao presidente George W. Bush para formalmente pedir ao Congresso a liberação dos US$ 350 bilhões restantes do Tarp.

De acordo com os informes distribuídos à imprensa, Obama disse que seria "irresponsável" tomar posse sem pedir os fundos do Tarp. "Muitos de nós têm estado desapontados com a ausência de clareza", falta de transparência e fracasso em fazer o suficiente sobre as execuções de hipotecas, disse Obama, de acordo com o material distribuído à imprensa.

Carta

Em uma carta enviada aos líderes do Congresso, Obama prometeu proporcionar mais prestação de contas do Tesouro e colocar condições mais rígidas sobre as firmas financeiras que receberem dinheiro dos contribuintes por meio do Tarp.

A carta, enviada nesta segunda-feira por Lawrence Summers em nome de Obama, a próxima administração fez uma série de compromissos com objetivo de abrandar as críticas dos congressistas pela forma como o dinheiro do Tarp foi usado até agora. A carta foi enviada à presidente da Câmara, a democrata Nancy Pelosi, o líder da maioria no Senado, o democrata Harry Reid, e suas contrapartes republicanas, o líder da minoria na Câmara, John Boehner, e o líder da minoria no Senado, McConnell.

"O presidente eleito Obama acredita que existia pouca transparência e responsabilidade final; muito para as instituições financeiras e executivos que agiram irresponsavelmente sem proporcionar ajuda suficiente para os proprietários de pequenos negócios, famílias que estão lutando para manter seus empregos e inocentes proprietários de residências", disse Summers, que será o chefe do Conselho de Conselheiros Econômicos de Obama, na carta.

Entre os compromissos declarados na carta, está que as firmas que receberem dinheiro sob o Tarp estarão sujeitas a limites na compensação de executivos, no nível de dividendos que eles podem pagar aos acionistas e recompra de ações. Também haverá limites sobre a atividade de aquisição - um ponto particularmente sensível para muitos congressistas, que acreditam que algumas firmas usaram o dinheiro recebido pelo Tarp para embarcarem em uma farra de gastos. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG