Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Obama, o cidadão e a web no centro

Obama, o cidadão e a web no centro Por Lucas Pretti São Paulo, 28 (AE) - O primeiro governo online do mundo começou às 12h01 da terça-feira passada (20) - o exato instante em que o site da Casa Branca (www.whitehouse.

Agência Estado |

gov) foi atualizado e passou a ter não apenas o rosto do presidente dos EUA, Barack Obama, na home, mas um leque de modernas possibilidades interativas.

Este mesmo minuto do dia 20 de janeiro pode ter sido o primeiro de uma nova etapa na história dos regimes democráticos: presidente e cidadãos tendo entre si apenas uma parede de bits.

É de se esperar que Obama realmente encabece a migração do governo norte-americano para a web - e acabe por influenciar o modo como se administra países no mundo todo. Afinal, ele fez a mais conectada das campanhas presidenciais e relatou cada passo de sua equipe de transição no site www.change.gov. Agora, essa transparência chega ao Salão Oval.

Obama quer manter a comunidade online que se criou em torno dele e foi essencial para sua eleição. Por isso criou um blog no WhiteHouse.gov. Logo no post de apresentação, a promessa que pode mudar a forma como se age politicamente nos dias de hoje: "Publicaremos todas as novas leis no site por cinco dias e deixaremos os usuários comentarem antes de o Presidente sancioná-las", diz o texto do diretor de Novas Mídias da Casa Branca, Macon Philips.

Obama também usará a internet para um discurso semanal, aos sábados, via videocast no YouTube. Tudo "assinável" em leitores de RSS e com design apropriado para a nova geração de cidadãos.

O problema é que estar conectado dá trabalho e exige mudanças nem sempre fáceis de serem implementadas dentro do governo. Até sexta-feira não havia novos posts no blog da Casa Branca mesmo com a agenda lotada dos primeiros dias da nova administração.

Por enquanto, vale a intenção do primeiro presidente negro dos EUA. Sim, ele tem tudo para inaugurar a fase em que os governos mundo afora serão considerados 2.0. Vamos acompanhar atentamente.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG