Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Obama mostra tom conciliador para política internacional

SÃO PAULO - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, mostrou um tom conciliador em seu discurso de posse, ao mencionar os desafios de política internacional, seja no que diz respeito à necessidade de combater as ameaças nucleares no mundo, seja em relação à ajuda a países pobres. Na avaliação dele é falsa a escolha entre segurança e ideais. Ele afirmou aos cerca de 2 milhões pessoas que lotaram a esplanada em frente ao Capitólio que a América é amiga dos países e homens que buscam um futuro de paz e dignidade.

Valor Online |

"Estamos prontos para voltar a liderar uma vez mais", afirmou.

Crítico da ocupação no Iraque, Obama reforçou em seu discurso que o poder americano sozinho não pode proteger o país. "Nosso poder aumenta na medida de seu uso prudente; nossa segurança emana da causa justa, da força do nosso exemplo, da moderação e da humildade", disse.

Depois de citar o plano de retirada das tropas americanas no Iraque, Obama afirmou que os Estados Unidos trabalharão com "velhos amigos e antigos inimigos" para diminuir a ameaça nuclear. "Para aqueles que procuram alcançar seus objetivos induzindo terror e massacrando inocentes, nós dizemos agora que nosso espírito é mais forte e não pode se quebrar. Nós os derrotaremos."
Obama lembrou ainda da necessidade de tolerância entre as raças e credos, que os Estados Unidos é uma nação formada não só por cristãos, mas também por muçulmanos, judeus, hindus e laicos. "Porque provamos o gosto amargo da segregação e da guerra civil e submergimos desse capítulo obscuro mais fortes e unidos, podemos acreditar que os velhos ódios passarão algum dia", sentenciou.

Sobre o mundo muçulmano, Obama reafirmou em seu discurso que o país adotará uma maneira nova pra lidar com a questão, que seja baseado em "interesses e respeito mútuos". Aos líderes que buscam "semear conflito", o novo presidente americano avisou que um povo julga seus líderes pela sua capacidade de construir e não de destruir.

Também constou da proclamação inaugural de Obama a intenção de colaboração com nações pobres. "O mundo mudou e nós devemos mudar com ele." Ainda que os desafios econômicos e as ferramentas para lidar com o atual cenário sejam inéditos, o presidente lembrou que o país precisa se pautar por antigos valores, como trabalho, honestidade, coragem, tolerância, criatividade, lealdade e patriotismo para ter sucesso.

"Estas coisas são verdadeiras e foram a força silenciosa do progresso durante toda nossa história", disse o novo presidente norte-americano.

(Valor Online, com agências internacionais)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG