SÃO PAULO - O presidente americano, Barack Obama, concedeu uma entrevista ao canal de TV saudita Al Arabiya. É a primeira vez que ele fala com exclusividade para algum veículo de imprensa desde que se tornou presidente.

Obama disse que queria que o mundo muçulmano soubesse que " os americanos não são seus inimigos " . Sinalizando uma ruptura em relação às políticas de George W. Bush, Obama disse que deixaria de lado as idéias " pré-concebidas " dos anos Bush e pregou o respeito mútuo.

Obama disse ainda que orientou seu enviado especial ao Oriente Médio, George Mitchell, a começar sua missão ouvindo. " Comece por ouvir porque isso vai mudar a postura americana, que tem sido a de ditar soluções para os problemas. " Ao falar da questão palestina e de Israel, disse: " É impossível para nós pensarmos só em termos do conflito palestino-israelense, e não em termos do que está acontecendo na Síria, no Irã, no Líbano, no Afeganistão e no Paquistão. Essas coisas estão interrelacionadas " .

Obama se comprometeu a dizer aos americanos que o mundo muçulmano está " cheio de gente extraordinária, que quer simplesmente viver suas vidas e dar uma vida melhor aos seus filhos " . O presidente falou de seus laços especiais com o mundo muçulmano. Ele passou quatro anos de sua infância na Indonésia.

(Valor Econômico, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.