Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Obama: famílias terão corte de impostos de US$ 1 mil

O presidente eleito dos EUA, Barack Obama, afirmou que, entre as medidas de seu pacote econômico, estará um corte de impostos para famílias norte-americanas equivalente a US$ 1 mil. O desconto, uma de suas promessas de campanha, tem como objetivo incentivar o consumo.

Agência Estado |

"Para estimular as pessoas a gastarem novamente, 95% das famílias de trabalhadores receberão um corte de impostos de US$ 1 mil - primeiro estágio da redução de impostos para a classe média que prometi durante a campanha e que incluirei no próximo orçamento", afirmou Obama.

Obama também mencionou no discurso a necessidade de esforços para evitar as execuções de hipotecas e de medidas para impedir a falência de instituições financeiras, além de "restrições significativas" para as empresas que recebessem auxílio do governo.

"Não podemos mais permitir que malfeitores de Wall Street escapem por meio de brechas regulatórias. Também não podemos permitir empréstimos inescrupulosos que nos levaram a ciclos destrutivos", acrescentou.

Ele não forneceu detalhes sobre qual será a abordagem em relação à execução de hipotecas ou para as reformas no sistema financeiro, mas disse ontem que teria algumas alterações regulatórias prontas até a reunião dos líderes do G-20 em Londres, no mês de abril.

Energia

Obama anunciou ainda que os EUA dobrarão a produção de fontes renováveis de energia nos próximos três anos. Ele também alertou que sem ações dramáticas a recessão norte-americana pode persistir por anos. "Colocaremos os americanos para trabalhar em novos empregos na construção de painéis solares e de turbinas movidas pelo vento; na construção de carros com consumo de combustível eficiente e no desenvolvimento de novas tecnologias que levarão a ainda mais empregos, e a um planeta mais limpo e seguro", afirmou.

O discurso é a tentativa mais recente do presidente eleito dos EUA de convencer a opinião pública sobre a urgência de um pacote de estímulo à economia. Ele pediu aos congressistas uma aprovação rápida do pacote, sem mencionar quanto será gasto com as medidas.

"(A solução para a recessão econômica) não será fácil nem acontecerá da noite para o dia, e é provável que as coisas piorem antes de melhorar", segundo Obama. "Mas essa é uma razão para que o Congresso aja sem atrasos. Eu sei que a magnitude deste plano não tem precedentes, mas também não há precedentes para a gravidade da nossa situação." As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG