Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Obama: EUA não podem esperar por ajuda econômica

O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta segunda-feira que os americanos não podem esperar de imediato por ajuda econômica, depois que líderes do Congresso deixaram claro que seu gigantesco plano de estímulo econômico não será aprovado tão rápido quanto ele gostaria.

AFP |

Um dia depois de se mudar com a família para Washington, duas semanas antes de sua posse, Obama começou uma série de reuniões com líderes do Congresso, numa tentativa de pressionar o legislativo por uma aprovação relâmpago de seu projeto de resgate da economia.

"O motivo pelo qual estamos aqui hoje é porque os negócios mantidos pelas pessoas não podem esperar", disse o futuro presidente à imprensa antes de começar uma reunião com Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes.

"Temos um extraordinário desafio econômico pela frente, estamos esperando um relatório sensato até o fim da semana", acrescentou.

Obama se preparava para um encontro, ainda nesta segunda-feira, com os líderes democrata e republicano no Congresso.

Enquanto isso, os primeiros detalhes do plano de recuperação econômica elaborado por sua equipe começaram a ser divulgados, a começar pelo impressionante valor: 775 bilhões de dólares.

O presidente eleito também organiza a aplicação de um significativo corte de impostos para trabalhadores da classe média no valor de 300 bilhões de dólares - o que corresponde a cerca de 40% da cifra total do projeto de resgate, indicou uma fonte da equipe de transição.

Obama já revelou também que seu plano inclui investimentos multibilionários em infra-estrutura, como a modernização do sistema de saúde, a reforma de escolas e obras para a construção de pontes e estradas.

O tamanho do corte fiscal pode surpreender alguns analistas - e pode também ser visto como uma isca para fisgar o apoio dos republicanos para o pacote de estímulo econômico, principalmente no Senado, onde a oposição tem parlamentares em número suficiente para barrar sua aprovação.

col/ap/sd

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG