O presidente dos EUA, Barack Obama, disse que "ainda é muito cedo para dizer" se o anúncio da China de que vai deixar o yuan se valorizar em relação ao dólar será suficiente para que se alcance um reequilíbrio entre as moedas dos dois países

O presidente dos EUA, Barack Obama, disse que "ainda é muito cedo para dizer" se o anúncio da China de que vai deixar o yuan se valorizar em relação ao dólar será suficiente para que se alcance um reequilíbrio entre as moedas dos dois países. Às vésperas da reunião do G-20 no Canadá, Obama comentou que os sinais iniciais "foram positivos" e disse que seu governo está acompanhando de perto os movimentos da moeda chinesa.

Obama fez essas declarações durante entrevista à imprensa na Casa Branca ao lado do presidente da Rússia, Dmitry Medvedev. O presidente norte-americano afirmou que os EUA não esperam que o yuan se valorize rapidamente, "simplesmente porque isso seria uma enorme ruptura para o mercado de câmbio e para a economia chinesa". Obama disse que vai deixar o secretário do Tesouro, Timothy Geithner, determinar qual seria o ritmo apropriado para a valorização do yuan. Ainda assim, acrescentou, a China tem de elaborar sua própria determinação de ritmo. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.