Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Obama diz que vazamento pode ser controlado só depois de "muitos dias"

(Atualiza com novas declarações de Barack Obama). Washington, 2 mai (EFE).

EFE |

(Atualiza com novas declarações de Barack Obama). Washington, 2 mai (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse hoje que "muitos dias" podem ser necessários para controlar o vazamento de petróleo no Golfo do México que ameaça provocar o pior desastre ecológico da história do país. Obama visita hoje o estado da Louisiana para ver de perto as consequências do vazamento, que começou em 20 de abril após a explosão e posterior afundamento de uma plataforma de petróleo operada pela British Petroleum (BP). "Acho que o povo americano é consciente agora. Certamente os habitantes aqui do Golfo o são, (sabem) que estamos enfrentando um desastre ecológico potencialmente sem precedentes", afirmou o presidente americano. "O petróleo que flui do poço pode prejudicar seriamente a economia e o meio ambiente de nossos estados do Golfo", disse Obama em breves declarações à imprensa. O presidente americano acrescentou que as consequências do desastre ambiental podem se estender por "muito tempo" e ameaçar o sustento de milhares de americanos. O presidente respondeu também aos críticos segundo os quais seu Governo não agiu com a rapidez necessária no caso. "Nos preparamos e nos planejamos para o pior desde o primeiro dia, embora esperemos o melhor", disse Obama na cidade de Venice, no sul da Louisiana, que se transformou em um centro de operações para a responta à catástrofe. Obama também afirmou que não se dará por satisfeito até que o vazamento seja controlado. Obama lembrou que uma investigação teve início "imediatamente" após a explosão e um centro de comando conjunto da BP e do Governo perto da cidade de Nova Orleans supervisiona a situação minuto a minuto. Além disso, o presidente americano lamentou que as condições meteorológicas não tenham "cooperado" nos trabalhos para deter a mancha de petróleo. Seguindo a linha do que já havia sido dito em algumas ocasiões anteriores, Obama falou que a BP é "responsável" pelo vazamento e "pagará a fatura" do mesmo. Mesmo assim, insistiu que, como presidente, não poupará esforços para ajudar a resolver o problema. "Faremos tudo o que estiver em nossas mãos para proteger os recursos naturais", disse Obama. EFE tb/bba

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG