Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Obama discute plano para resgatar a economia com líderes do Congresso

O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, reúne-se nesta segunda-feira com os líderes do Congresso para discutir o bilionário plano de resgate da economia que os democratas esperam aprovar no início de fevereiro.

Redação com agências |

AP
Obama volta das férias

Obama volta das férias

A reunião será a primeira de Obama com os parlamentares desde sua histórica vitória, em 4 de novembro, e sua primeira atividade mais importante em Washington depois de ter mudado para a capital vindo de seu domicílio eleitoral em Chicago, no domingo.

No Capitólio, Obama tentará finalizar com os líderes parlamentares as modalidades de seu plano de recuperação, avaliado entre US$ 775 bilhões e um US$ 1 trilhão pelo chefe da maioria democrata na Câmara dos Deputados, Steny Hoyer.

Segundo o The Wall Street Journal, US$ 300 bilhões serão destinados em incentivos fiscais a consumidores e empresas. O jornal afirma que a maior parcela do alívio tributário se daria no imposto de renda e concederia um crédito de US$ 500 por contribuinte ou US$ 1 mil por família.

Para as empresas, o governo pretende facilitar o reconhecimento contábil de perdas ocorridas em 2008 e 2009, de forma a permitir que as companhias sejam beneficiadas pela redução de impostos mais rapidamente e, com isso, compensem parte do aperto nas condições de crédito. Também fazem parte do pacote planejado incentivos aos investimentos e a concessão de créditos tributários a empresas que façam contratações ou abram mão de demissões. A taxa de desemprego atingiu 6,7% em novembro nos Estados Unidos.

Na reunião, Obama conversará com os líderes de ambas as câmaras do Congresso, incluindo o líder democrata do Senado, Harry Reid, e a presidente da democrata da Câmara de Representantes, Nancy Pelosi.

O canal ABC News informou que os líderes republicanos da Câmara de Representantes, John Boehner, e do Senado, Mitch McConnell, também conversarão com Obama, apesar de seus assessores não confirmarem o horário.

"Os economistas de todas as tendências políticas concordaram no fato de que se não atuarmos rapidamente, e com audácia, poderemos assistir a uma recessão ainda mais grave, capaz de levar a um desemprego duas vezes maior", advertiu Obama sábado durante seu programa de rádio semanal.

Segundo o presidente eleito, "o objetivo número um" do plano preparado por sua equipe será criar três milhões de empregos, sendo 80% no setor privado.

Obama também pretende promover "investimentos de longo prazo" nas infra-estruturas, assim como "isenções fiscais diretas para 95% dos trabalhadores americanos".

De acordo com o New York Times deste domingo, Obama e os parlamentares democratas também estudam uma ampla extensão do seguro-saúde e do seguro-desemprego.

Além da crucial questão econômica, a equipe de Obama deverá se posicionar sobre o conflito entre Israel e o Hamas na Faixa de Gaza. O futuro presidente dos Estados Unidos mantém por enquanto um silêncio prudente sobre o assunto.

Obama e sua família se instalaram no domingo em Washington, onde o presidente eleito começou imediatamente a trabalhar em seu plano de recuperação da econômica americana.

De volta de duas semanas de férias no Havaí, Obama, sua esposa Michelle e as duas filhas do casal, Sasha, de 10 anos, e Malia, 7, devem se instalar provisoriamente no Hay-Adams, um hotel de luxo de Washington.

(*com informações da AFP e Valor Online)

Leia mais sobre crise financeira

Leia tudo sobre: crise financeira

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG