Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Obama cria força-tarefa a montadoras, descarta czar dos veículos

CHICAGO - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, decidiu criar uma força-tarefa para reestruturar o combalido setor automotivo norte-americano, em vez de nomear um czar dos veículos com amplos poderes, disse uma autoridade do governo no domingo.

Reuters |

Obama está apontando o secretário do Tesouro, Timothy Geithner, como seu "designado" para supervisionar os empréstimos para o resgate das montadoras e como o co-diretor de um novo quadro de alto nível, junto ao diretor do Conselho Econômico Nacional, Lawrence Summers, segundo a autoridade.

Mas Obama, que assumiu a presidência em 20 de janeiro e conquistou na semana passada a vitória no Congresso do plano de estímulo econômico de US$ 787 bilhões, descartou a ideia de ter um único indicado encarregado de assumir a delicada tarefa política de reformar o setor automotivo norte-americano, que já foi bastante forte.

"Não existe um 'czar' dos veículos", disse a autoridade, falando sob a condição de anonimato.

Não houve comentários sobre quando ou como Obama, que deve retornar a Washington nesta segunda-feira após passar o fim de semana prolongado pelo feriado do Dia dos Presidentes em Chicago, planeja divulgar sua estratégia para lidar com a crise das montadoras.

Mas a General Motors e a Chrysler, foram chamadas a submeter novos planos de recuperação até terça-feira, demonstrando como elas podem se mostrar viáveis, após terem recebido US$ 13,4 bilhões em ajuda de emergência nas últimas semanas do governo de George W. Bush.

O novo quadro, a força-tarefa presidencial para montadoras, será desenhada por várias partes do governo, incluindo os departamentos do Tesouro, Trabalho, Transporte e Comércio e Energia, e será fiscalizada por Geithner e Summers, disse a autoridade.

A GM recebeu bem a criação do novo quadro. "Nós esperamos nos reunir logo com essa equipe para dividir o detalhado programa de reestruturação da GM para recuperar a viabilidade de nossa companhia e cumprir os requisitos de seus acordos de empréstimo".

A Chrysler não comentou imediatamente.

Leia mais sobre: Barack Obama

Leia tudo sobre: setor automotivo dos eua

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG