Tamanho do texto

O presidente americano Barack Obama declarou neste domingo que os fabricantes de veículos americano precisam se esforçar mais para reestruturar sua abalada indústria e obter ajuda adicional do governo.

Em entrevista ao programa "Face The Nation", do canal CSB, respondeu assim à pergunta sobre o que as montadoras General Motors e Chrysler precisariam fazer para conseguir mais dinheiro do governo.

Nesta segunda-feira Obama deve revelar seu plano de ajuda às montadoras, que pediram bilhões de dólares ao governo para enfrentar a crise econômica.

Obama também se comprometeu em não enviar tropas para perseguir os militantes no Paquistão, mas, que mesmo assim, serão lançados ataques aéreos contra alvos inimigos.

"Não mudei meu enfoque. Se tivermos um alvo de grande valor em nossa mira, depois de realizar consultas com o Paquistão, iremos atrás dele", afirmou.

Indagado se enviará tropas em perseguiçao a militantes dentro do Paquistou, negou enfaticamente.

"Nosso plano não muda o reconhecimento do Paquistão como um governo soberano. Precisamos trabalhar com eles para lidar com a Al-Qaeda".

Os entrevistadores também perguntaram se Obama tem intenções de acelerar a retirada militar do Iraque.

"Não, acho que o plano que adiantamos no Iraque é o correto, que é uma retirada gradual através das eleições no Iraque".

"Ainda resta trabalho a fazer em termos políticos, resolver diferenças entre os variados grupos sectários e sobre assuntos como petróleo ou eleições provinciais".

"Tenho confiança de que estamos na direção correta".

jit/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.