Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

NY cai com dados de imóveis e de auxílio-desemprego

As Bolsas de Nova York operam em queda, refletindo o pessimismo dos investidores depois que relatórios mostraram queda acima do previsto nas vendas de imóveis usados nos EUA, aumento nos pedidos de auxílio-desemprego para o maior nível em três anos e a Ford divulgou prejuízo expressivo no segundo trimestre. Às 11h48 (de Brasília), o Dow Jones caía 0,83%, o Nasdaq recuava 0,65% e o S&P 500 tinha queda de 0,65%.

Agência Estado |

 

Na Bolsa de Valores de São Paulo, o índice Bovespa operava em baixa de 0,59% a 59.071 pontos.

Analistas ponderam que, pela primeira vez desde os anos 1970, os preços de commodities e do petróleo estão perto de nível recorde, ao mesmo tempo em que a economia dos EUA aparenta estar em recessão. Nesta manhã, a Associação Nacional de Corretores de Imóveis dos EUA informou que as vendas de imóveis residenciais usados caíram 2,6% em junho nos EUA, para uma taxa anualizada de 4,86 milhões. Analistas esperavam que as vendas caíssem 0,8%. O preço médio dos imóveis no mês passado caiu 6,1%, informou a associação.

Antes, o Departamento de Trabalho havia informado que os pedidos de auxílio-desemprego nos EUA aumentaram em 34 mil na semana encerrada em 19 de julho, após ajustes sazonais, para 406 mil, o maior nível desde setembro de 2005. "Isso consiste com a nossa visão de que veremos um declínio contínuo nos postos de trabalho e aumento na taxa de desemprego", comentou Michelle Meyer, economista do banco de investimentos Lehman Brothers.

As ações da Ford caíam 5,97%, às 11h30 (de Brasília). A montadora de veículos registrou baixa contábil de US$ 7,4 bilhões no segundo trimestre e anunciou prejuízo líquido de US$ 8,67 bilhões (US$ 3,88 por ação) no período, ante lucro de US$ 750 milhões (US$ 0,31 por ação) no segundo trimestre de 2007.

O setor de tecnologia trazia algum alento para os investidores, depois do resultado acima do esperado da Amazon.com. No setor financeiro, as ações das agências hipotecárias Freddie Mac caíam 3,15% e as da Fannie Mae recuavam 7%, às 11h30 (de Brasília), em meio à expectativa para a votação no Senado dos EUA da proposta de legislação imobiliária. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: bolsa de valores

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG