Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

NY abre negócios em baixa após vitória de Obama

A Bolsa de Nova York abriu em baixa nesta quarta-feira, dia seguinte à eleição do democrata Barack Obama à Presidência dos Estados Unidos, no momento em que as atenções dos investidores estão voltadas para os desafios econômicos.

Redação com agências |

 

Por volta das 15h (de Brasília) o Dow Jones caía 2,07% e o Nasdaq recuava 2,19%.

As Bolsas de valores da Ásia atingiram o maior nível em três semanas e o dólar ampliou ganhos depois que o Barack Obama tornou-se o próximo presidente dos Estados Unidos. A euforia das bolsas asiáticas contrastou com a reticência das bolsas européias, com analistas afirmando que a vitória de Obama já estava largamente precificada e as preocupações sobre a economia mundial continuam.

Europa

Na Europa, a maioria das bolsas fecharam em baixa, com investidores preferindo realizar lucros obtidos nos útimos dias e analistas afirmando que uma vitória de Obama já estaria refletida nos preços das ações.

O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou nesta quarta em queda de 1,98%, para 3.618,11 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX-30, da Bolsa de Frankfurt, fechou nesta quarta-feira em queda de 2,11% (111,17 pontos), para 5.166,87 pontos.

O índice Swiss Market Index (SMI), da Bolsa de Zurique, fechou em queda de 3,48% (222,83 pontos), para 6.177,15 pontos.

O índice S&P/MIB, da Bolsa de Milão, fechou nesta quarta-feira em queda de 1,44%, para 22.758 pontos.

O índice Ibex-35, da Bolsa de Madri, seguiu o movimento contrário e fechou nesta quarta em alta de 0,18% (17,90 pontos), para 9.744,70 pontos.

Ásia

Os indicadores foram impulsionados por ações de companhias exportadoras, que poderiam se tornar mais competitivas com a alta do dólar.

A moeda americana está em alta em relação às principais moedas, diante da expectativa de que um novo governo democrata na Casa Branca acelere medidas econômicas para contornar a crise financeira.

"O rali na Ásia sobre uma vitória de Obama está criando uma oportunidade de venda", disse Kirby Daley, estrategista do Newedge Group, em Hong Kong.

"O principal é que os fundamentos econômicos dos EUA estão se deteriorando mais rápido do que o mercado pode lidar. E é muito pouco o que a administração de Obama pode fazer para proteger a Ásia dos efeitos desta crise."

O índice MSCI que reúne os principais mercados da Ásia com exceção do Japão operava em alta de 1,84%, para 263 pontos. A valorização marca o sétimo pregão consecutivo de alta do índice e acontece depois que o indicador atingiu o patamar mais alto desde 16 de outubro.

Os ganhos são registrados também depois que as ações nos EUA tiveram o maior rali diário eleitoral da história.

A Bolsa de TÓQUIO disparou 4,46%, para 9.521 pontos, liderada por ações de exportadores como a Honda.

Enquanto isso, HONG KONG subiu 3,2%, CINGAPURA avançou 2,1% e XANGAI registrou ganho de 3,16%. SYDNEY teve alta de 2,9% e SEUL se valorizou em 2,44%. Apesar disso, TAIWAN caiu 0,29% e na ÍNDIA o mercado recuou.

"A vitória de Obama deve se provar mais positiva para mercados estrangeiros dada a percepção de que ele será mais forte em termos de lidar com os problemas econômicos dos EUA, é visto de maneira mais favorável pelos estrangeiros em geral e é menos provável que seguirá as políticas do presidente Bush", disse a Calyon em relatório.

(Com informações da Reuters e EFE)

Leia também

 

Para saber mais

 

Serviço 

 

Opinião

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG