O passeio de montanha-russa do mercado de ações americano deve continuar hoje, diante da expectativa de mais volatilidade, com o vencimento das opções de muitas ações e de índices, que geralmente provoca variações mais acentuadas nos preços. Ontem, o índice VIX, que mede a volatilidade implícita nas opções do índice S&P 500 da Chicago Board Options Exchange atingiu nível historicamente alto, em antecipação ao possível comportamento do mercado hoje.

Os índices futuros do mercado de Nova York sinalizam uma abertura em queda acentuada, com o Nasdaq 100 caindo 2,61% e o S&P 500 2,24%, após dados sobre a construção de novas residências indicarem que a economia real ainda passa por problemas. Às 10h32, com o início do pregão regular, o índice Dow Jones caía 2,66%, o Nasdaq cedia 2,64% e o S&P 500 recuava 2,66%.

A construção de moradias recuou pela terceira vez consecutiva em setembro, caindo 6,3% e atingindo taxa anual sazonalmente ajustada de 817 mil residências, menor nível em 17 anos, e sinalizando um potencial declínio no quarto trimestre.

As ações encerraram o pregão de quinta-feira em alta, impulsionada por compras de pechincha, que reverteram a queda registrada durante o início da sessão após a divulgação de dados sobre a produção industrial. O índice Dow Jones subiu 401 pontos (4,68%), o Nasdaq avançou 89 pontos (5,49%) e o S&P 500 registrou alta de 38 pontos (4,25%).

Já as ações do Google subiram 5,9%, reagindo ao anúncio de resultados trimestrais melhores que o esperado ontem, após o fechamento. O lucro líquido da empresa aumentou 26% e sua receita cresceu 31%. IBM, que deu mais detalhes de seu balanço que já havia anunciado de maneira preliminar, ganhou 0,8%. O lucro líquido cresceu 22% no trimestre e seu executivo-chefe, Mark Loughridge, disse que continua confiante na possibilidade de a companhia cumprir suas metas. A fabricante de semicondutores AMD subiu 5,3%, após anunciar ontem queda do prejuízo e melhoria de receita e margens.

Depois da quinta-feira forte em divulgação de balanços, a agenda de hoje trouxe como destaque apenas Honeywell. O conglomerado industrial informou que obteve lucro líquido de US$ 719 milhões no terceiro trimestre deste ano, 16,3% maior que o de US$ 618 milhões de igual período do ano passado. A companhia disse que conseguiu, em certa medida, isolar suas operações internacionais das dificuldades por que passa a economia norte-americana. Seu executivo-chefe, Dave Cote, disse que a demanda pela tecnologia do grupo e sua posição em diversos setores ajudarão a empresa a continuar registrando bom desempenho apesar das condições atuais. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.