Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

NY abre em baixa, com fracasso de plano a montadoras

A incapacidade do Congresso dos Estados Unidos de aprovar um plano de socorro às montadoras norte-americanas e resolver os problemas financeiros das maiores indústrias de automóveis do país e do mundo fez com que as Bolsas de Nova York abrissem em baixa hoje. Entretanto, o comportamento dos mercados em Wall Street é incerto e dependerá da reação dos investidores ao anúncio feito pela Casa Brancas, pouco antes da abertura dos negócios na sessão regular há pouco, de que estuda usar recursos do Programa de Alívio de Ativos Problemáticos (Tarp, na sigla em inglês), o programa de ajuda às instituições financeiras, para as montadoras.

Agência Estado |

Às 12h32 (de Brasília), o índice Dow Jones caía 2,45%, o Nasdaq 100 recuava 1,8% e o S&P 500 tinha baixa de 2,39%.

O setor financeiro também é destaque nesta sexta-feira. Ontem à noite, o Bank of America (BofA) divulgou previsão de demissão de até 35 mil funcionários em três anos, enquanto o diretor-executivo do JPMorgan Chase, Jamie Dimon, disse ver poucos sinais de esperança diante de um "árduo" quarto trimestre e das "terríveis" condições do mercado em novembro e em dezembro deste ano. Dimon afirmou ainda que a turbulência dos mercados está tornando a integração do Bear Stearns, anunciada em março, mais difícil e cara do que o estimado anteriormente.

Entre as montadoras, a General Motors (GM) estuda saídas para continuar operando, uma vez que, conforme já declarou, não tem recursos para enfrentar os pesados vencimentos com fornecedores previstos para o início do ano que vem. Entre as opções, estaria um novo pedido ao governo dos EUA de acesso ao Tarp, ou uma aproximação ao Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA). As ações da GM despencaram 22% no pré-mercado em Nova York. Os papéis da Ford, embora inicialmente fora do programa de ajuda, caíram 15%. Analistas avaliam que a Ford, apesar de mais sólida financeiramente, depende dos mesmos fornecedores da GM e da Chrysler e poderia ser levada pelos mesmos problemas das duas em conseqüência.

A Casa Branca, que alguns senadores consideram a única saída para as montadoras, disse que irá pesar as opções que têm disponíveis e tentar retomar um plano de ajuda para a indústria.

"Uma economia já frágil está agora diante de um prejuízo da crise", disse o estrategista-chefe de investimento do Hartford, Quincy Krosby. "Ontem, o mercado tinha preocupações quanto à possibilidade de uma recessão mais profunda e prolongada e então acontece isso e temos um cenário ainda mais negativo emergindo", afirmou. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: bolsa de valores

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG