Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Número de funcionários na gestão pública subiu 7,5% em 2006, diz IBGE

SÃO PAULO - A administração pública apresentou o maior aumento no pessoal ocupado total entre 2005 e 2006, conforme o Cadastro Central de Empresas (Cempre) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado nesta sexta-feira. O número de funcionários da administração pública aumentou 7,5% no período, enquanto as entidades empresariais e as sem fins lucrativos apresentaram crescimento de 3,8% e 4%, respectivamente.

Valor Online |

Em relação ao pessoal ocupado assalariado, as empresas apresentaram uma elevação de 5,7% e as entidades sem fins lucrativos de 4,7%, enquanto na administração pública a variação entre pessoal ocupado total e pessoal ocupado assalariado é irrelevante. No total, o IBGE computou 5,7 milhões de empresas com inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) em 2006, ou 1% acima do observado em 2005.

Desse total, 89,8% eram empresas, 0,3% eram órgãos da administração pública e 9,9%, entidades sem fins lucrativos. Nelas trabalhavam 41,4 milhões de pessoas (4,6% a mais que em 2005), sendo 82,6% assalariadas e 17,4% sócias ou proprietárias. Em relação a 2005, houve aumento de 6% no pessoal assalariado e redução de 1,9% no número de sócios ou proprietários. Nas empresas trabalhavam 72,9% do total de ocupados, contra 20,1% na administração pública e 7% nas entidades sem fins lucrativos.

Em 2006, apesar de as grandes empresas (250 pessoas ocupadas ou mais) representarem apenas 0,3% do total de empresas, elas foram responsáveis por mais da metade do pessoal ocupado assalariado (54,6%) e por mais de dois terços dos salários e outras remunerações (70%). Entretanto, o subgrupo das empresas com mil ou mais pessoas ocupadas (3.566 unidades ou 0,1% do total), foi responsável por mais de um terço do pessoal ocupado assalariado (38,1%) e por mais da metade dos salários e outras remunerações (53,6%).

O salário médio mensal também foi mais elevado nas empresas de maior porte. Enquanto o salário médio mensal para o total do Cempre foi de 3,6 salários mínimos médios, os salários médios mensais para as grandes empresas e para o subgrupo das empresas com mil ou mais pessoas ocupadas foram, respectivamente, 4,6 e 5,0 salários mínimos médios.

O Cempre mostra também o peso da administração pública entre as empresas e outras organizações de maior porte. Em 2006, a administração pública representou apenas 0,3% do número total de empresas e outras organizações, mas sua participação foi de 28,8% no grupo de unidades com 250 pessoas ocupadas ou mais e de 34,1% no subgrupo com mil ou mais pessoas ocupadas. As entidades sem fins lucrativos não apresentaram grandes variações de participação de acordo com o porte, registrando 9,9% de participação no total do Cempre e os 8,4% de participação no subgrupo com mil ou mais.

O peso da administração pública também pode ser examinado na distribuição do pessoal ocupado por porte e por natureza jurídica. Do total do pessoal ocupado, a participação da administração pública foi de um quinto (20,1%). Nas grandes empresas e outras organizações essa participação foi de 41,7% e, no subgrupo com mil ou mais, a administração pública participou com quase a metade do pessoal ocupado total (47,3%).

Do total das empresas e outras organizações, 92,1% possuíam menos de 10 pessoas ocupadas e 39,0% tinham até 5 anos de idade. Contudo, mais da metade das empresas (59,4%) tinham até 9 anos de idade. Entre as grandes empresas a situação é bem diferente: 44,9% das empresas com 250 pessoas ocupadas ou mais e 54% do subgrupo com mil ou mais pessoas ocupadas estavam na faixa de idade de mais de 30 anos.

(Rafael Rosas | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG