Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Núcleo de campanha de Kassab incentivou adoção do rodízio

O núcleo de campanha do Democratas incentivou o prefeito e candidato à reeleição Gilberto Kassab (DEM) a antecipar o anúncio do rodízio para caminhões nas Marginais em São Paulo. A decisão foi política, ratificada no fim da noite de anteontem, mas teve o aval de técnicos da Secretaria Municipal de Transportes.

Agência Estado |

A restrição já estava prevista em um pacote de medidas anunciado em maio. Havia, no entanto, o receio de um impacto negativo junto aos transportadores de cargas e caminhoneiros. Mas, com a redução dos congestionamentos após a restrição no centro expandido, válida desde segunda-feira, o núcleo de campanha incentivou o governo a aproveitar o "bom momento" e adiantar o rodízio nas Marginais.

A saída, há duas semanas, do presidente da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), Roberto Scaringella, contrário ao rodízio nas Marginais para veículos de cargas menores, também reforçou a decisão.

Na avaliação de marqueteiros, a medida vai subsidiar o prefeito durante os debates sobre trânsito, tema que monopoliza hoje as propostas dos candidatos à Prefeitura de São Paulo. Guilherme Afif Domingos, coordenador do futuro programa de governo do DEM para São Paulo, diz que, com a restrição aos caminhões, a tendência é a aceitação ao prefeito subir nas próximas semanas.

"O prefeito já tem quase 40% de aceitação, que deve subir ainda mais agora", declarou Afif. "O prefeito está prefeitando ainda. Essa medida não foi de um candidato, e sim de um prefeito que sabe ser gestor", acrescentou. Afif, contudo, ainda considera a restrição aos caminhões "uma medida pontual" e que os investimentos em Metrô e no Rodoanel são prioritários.

Ação rápida

Cientistas políticos avaliam que Kassab tenta agir rapidamente, para se tornar tão competitivo quanto seus dois adversários que lideram as pesquisas, Marta Suplicy (PT) e Geraldo Alckmin (PSDB).

"A capacidade de crescimento dele depende de novidades. Dos três, ele é o menos competitivo. E novas medidas para melhorar o trânsito são sempre bem aceitas pela população", diz Marco Antonio Carvalho Teixeira, cientista político da Fundação Getúlio Vargas.

"Mas o grande teste, para saber se as medidas terão valido a pena, será o retorno das férias. Hoje, ainda temos um contingente grande de veículos fora de circulação, e não dá para saber ao certo o impacto das restrições. A cidade recebe um grande número de veículos novos por dia, e isso não vai ser estancado", afirma.

Fernando Antonio Azevedo, cientista político da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), avalia que o prefeito tenta gerar fatos positivos dentro do tema, que vai dominar a campanha à Prefeitura paulistana. "Ele tenta criar a imagem do gestor público que resolve os problemas, que age rápido. Enquanto isso, os outros candidatos só podem prometer coisas para o futuro, e ele pode já tomar as medidas como prefeito. Isso é uma grande vantagem dentro da corrida eleitoral", considera.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG