Nem dois leilões de compra de dólares por parte do Banco Central foram suficientes para conter a avalanche de vendas e a consequente queda da moeda no mercado à vista. Tudo conspirou a favor do real ontem: a alta de 0,75 ponto porcentual na taxa básica de juros (Selic), para 9,50% ao ano, na quarta-feira à noite, o clima mais calmo no mercado internacional com a perspectiva de que a Grécia receba um pacote de ajuda em questão de dias e o excesso de liquidez no mercado global, com poucas opções de praças para investir.

Nem dois leilões de compra de dólares por parte do Banco Central foram suficientes para conter a avalanche de vendas e a consequente queda da moeda no mercado à vista. Tudo conspirou a favor do real ontem: a alta de 0,75 ponto porcentual na taxa básica de juros (Selic), para 9,50% ao ano, na quarta-feira à noite, o clima mais calmo no mercado internacional com a perspectiva de que a Grécia receba um pacote de ajuda em questão de dias e o excesso de liquidez no mercado global, com poucas opções de praças para investir. Depois de já perder 0,79% do seu valor na quarta, o dólar ontem sofreu novo recuo no balcão, desta vez de 1,09%, indo a R$ 1,7320 - menor preço desde 8 de janeiro. Depois do segundo leilão do BC, o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, disse que a valorização do real preocupa e que o Tesouro irá acelerar a compra de moeda para conter o câmbio. Em abril até ontem, o dólar perdeu 2,75% do seu valor e, nos últimos 12 meses, -20,55%. No mercado de juros, a decisão do Copom de elevar a Selic provocou ajustes, com alta das taxas de curto prazo e queda das longas em meio a grande volume de contratos negociados. A taxa para julho de 2010 subiu a 9,654% e para janeiro de 2011, a 11,01%. O juro de janeiro de 2012 recuou a 12,16% e para janeiro de 2017, a 12,36%. A Bovespa deu sequência ontem à recuperação da véspera, após o tombo de 3,43% na terça-feira. Além do ambiente mais ameno no exterior em relação à crise grega, os balanços corporativos nos EUA foram favoráveis e impulsionaram as bolsas em Wall Street. O Ibovespa subiu 1,98%, aos 67.978,05 pontos. <i>As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.</i>

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.