São Paulo, 19 - As diretorias da Nossa Caixa e da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) negociam o aumento da linha de crédito lançada em dezembro, atualmente no valor de R$ 200 milhões, para R$ 1 bilhão. A assessoria de imprensa do banco informou hoje que as conversas continuam, mas o presidente da Abimaq, Luiz Aubert Neto, em entrevista coletiva concedida hoje, afirmou que a demanda já foi atendida.

Segundo Aubert, a linha lançada em dezembro estava direcionada apenas para os segmentos de máquinas agrícolas e irrigação. A entidade pediu o aumento da linha para R$ 1 bilhão para que todas as empresas que compõem a Abimaq tenham acesso a esse crédito.

Depois das críticas do setor de bens de capital e de autopeças a respeito do alto custo das linhas de financiamento lançadas em dezembro, o governo de São Paulo anunciou na semana passada a redução dos juros cobrados nos empréstimos da Nossa Caixa aos dois setores industriais.

Desde a semana passada, as operações que utilizarem como garantia a antecipação de recebíveis têm juros que variam entre 1,6% e 2% ao mês. Já as operações com garantia de recebíveis e direitos creditórios cobram taxa que varia entre 1,45% e 2,35% ao mês.

Sindipeças

Em dezembro, a Nossa Caixa lançou uma linha de R$ 1 bilhão para os associados do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças), mas apenas R$ 12,4 milhões foram efetivamente emprestados, ou 1,24% do total.

Dos R$ 200 milhões para os participantes da Abimaq, somente cerca de R$ 10 milhões tinham sido liberados. Para o Sindipeças, o crédito estava difícil e caro. Segundo a Abimaq, os juros médios estavam na casa dos 3% a 3,5% ao mês e chegavam a 42% ao ano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.