Tamanho do texto

SÃO PAULO - A Northwest Airlines encerrou o segundo trimestre com um prejuízo líquido de US$ 377 milhões. O resultado se compara a um lucro líquido de US$ 2,14 bilhões registrado no mesmo período do ano passado.

Segundo a companhia, as perdas são reflexo de uma baixa contábil de US$ 547 milhões e de um lucro excepcional no segundo trimestre de 2007, obtido por ganhos contábeis com a saída da companhia de seu processo de falência.

Sem a baixa contábil, a Northwest afirma que teria registrado um lucro líquido de US$ 170 milhões no segundo trimestre, 17% menos que os US$ 205 milhões de lucro recorrente em igual período do ano passado - também excluindo os ganhos excepcionais daqueles três meses.

Entre abril e junho, a companhia apresentou faturamento de US$ 3,57 bilhões, 12,4% mais que no mesmo trimestre de 2007. As despesas operacionais da empresa, por sua vez, aumentaram 37,2%, para US$ 3,87 bilhões. Isso é reflexo direto dos gastos com combustíveis, que subiram 41,1% e chegaram a US$ 1,2 no segundo trimestre deste ano.

Para enfrentar o aumento no custo do petróleo, a companhia já anunciou que irá retirar mais de 40 aeronaves antigas de sua frota até o final do ano e demitir cerca de 2,5 mil pessoas.

A alta sem precedentes no preço do petróleo continua a ser um grande desafio para a Northwest Airlines e para toda a indústria. Em resposta, temos agido com firmeza para reduzir capacidade, preservar nossa liquidez, gerenciar nossos custos agressivamente e elevar nosso faturamento com aumento nas tarifas e cobranças de taxas adicionais, afirmou o presidente e executivo-chefe da companhia, Doug Steenland.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.