Tamanho do texto

A finlandesa Nokia cortou nesta quinta-feira sua previsão para o mercado global de aparelhos telefônicos, pela segunda vez em três semanas, alertando que a crise se acelerou mais rapidamente do que o esperado. De acordo com a maior fabricante de telefones móveis do mundo, o volume global no mercado de aparelhos no quarto trimestre deste ano será menor que a estimativa de 330 milhões de unidades que havia anunciado no dia 14, quando fez um alerta de lucro.

Isso significa que, em 2008 como um todo, o volume será inferior ao de 1,24 bilhão de unidades estimado anteriormente. O grupo também espera que o volume caia 5% ou mais no ano que vem em relação aos níveis deste ano.

A companhia disse que ainda tem como meta aumentar sua fatia de mercado em 2009, mas disse que não tem certeza se conseguirá melhorar, ainda no quarto trimestre, a marca de 38% de participação atingida no terceiro.

"O ano de 2009 será desafiador para o nosso setor, entretanto temos uma base forte e acredito que continuaremos fortalecendo nossa posição em muitas frentes", disse o executivo-chefe da Nokia, Olli-Pekka Kallasvuo, em comunicado.

A empresa acrescentou que, enquanto segue comprometida em investir no crescimento, planeja cortar custos em 2009 e 2010. "A Nokia é altamente viável, o modelo de negócios de baixo custo fixo permite que nos ajustemos a um mercado declinante", disse o diretor financeiro do grupo, Rick Simonson.

"Também estamos atuando em todos os campos para reduzir nossos custos para além do que possa ser atribuído somente aos aspectos ajustáveis do modelo de negócios, reduzindo ainda mais os custos dos produtos vendidos, diminuindo apropriadamente as despesas operacionais e o gasto com investimento. Esperamos que essas medidas compensem, em parte, o impacto negativo das vendas menores", disse a Nokia.

Apesar do alerta, as ações da companhia subiam 4% no pré-mercado em Nova York. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.