Tamanho do texto

SÃO PAULO - A fabricante de celulares Nokia anunciou nesta quarta-feira novas medidas para reduzir as despesas e contornar os efeitos da crise econômica mundial sobre seus negócios. A empresa pretende fechar a fábrica de Jyväskylä, na Finlândia, país sede da Nokia, até o fim de 2009.

Nesta cidade, se concentram os trabalhos de desenvolvimento de produtos e marketing da companhia. "A mudança preocupa por causa dos 320 empregados trabalhando na fábrica", afirmou a Nokia em nota.

"Nossos funcionários de Jyväskylä são altamente competentes e têm contribuído para a criação de numerosos produtos. O fechamento desta fábrica é lamentável, mas é uma medida inevitável", completou no documento Peter Ropke, responsável pela área de pesquisa da empresa.

A fábrica de Salo também será afetada, já que a companhia quer diminuir a produção nesta área e, para tanto, pretende promover mais cortes. "As demissões temporárias serão implementadas em fases, de modo escalonado, com aproximadamente 2.500 trabalhadores sendo demitidos por vez", explicou a empresa. A ideia é adaptar a produção à demanda do mercado "para continuar as operações em Salo sem interrupções", enfatizou a Nokia em nota.

Com isso, a Nokia pretende concentrar a produção de celulares nas plantas das áreas metropolitanas finlandesas de Tampere, Oulu, Salo e Helsinki e reduzir seu quadro de custos que tem mostrado efeitos negativos sobre seus resultados.

No início deste ano a maior fabricante mundial de telefones celulares já havia divulgado uma queda de 42% no lucro líquido do ano fiscal de 2008, ante o ano anterior, advertindo, inclusive, a necessidade de redução de despesas.

Leia mais sobre emprego