TÓQUIO (Reuters) - Yoshihiko Noda deve se tornar o ministro das Finanças no gabinete formado pelo novo primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan, disse o jornal Yomiuri na sexta-feira.

A escolha de Noda, que já era vice-ministro, era esperada e foi bem recebida pelo mercado financeiro, já que ele é um adepto da disciplina fiscal e apoia a ideia de limitar a emissão de novos títulos de dívida no ano que vem.

" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Noda deve ser o novo ministro das Finanças no Japão

TÓQUIO (Reuters) - Yoshihiko Noda deve se tornar o ministro das Finanças no gabinete formado pelo novo primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan, disse o jornal Yomiuri na sexta-feira.

A escolha de Noda, que já era vice-ministro, era esperada e foi bem recebida pelo mercado financeiro, já que ele é um adepto da disciplina fiscal e apoia a ideia de limitar a emissão de novos títulos de dívida no ano que vem.

Reuters |

TÓQUIO (Reuters) - Yoshihiko Noda deve se tornar o ministro das Finanças no gabinete formado pelo novo primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan, disse o jornal Yomiuri na sexta-feira.

A escolha de Noda, que já era vice-ministro, era esperada e foi bem recebida pelo mercado financeiro, já que ele é um adepto da disciplina fiscal e apoia a ideia de limitar a emissão de novos títulos de dívida no ano que vem.

"Noda tem ideias sobre a disciplina fiscal, e isso seria reconfortante para o mercado de títulos", disse Nobuto Yamazaki, gestor de um fundo da Diam Asset Management, em Tóquio.

Kan, que era o titular das Finanças, foi escolhido primeiro-ministro na sexta-feira, em substituição ao impopular Yukio Hatoyama, que renunciou para não prejudicar seu partido numa eleição para o Senado em julho.

O novo premiê deve formar seu gabinete na terça-feira.

Mas a nomeação de Noda ainda não é definitiva. Ele próprio disse a jornalistas depois da eleição de Kan no Parlamento que não foi procurado para ser ministro.

Como um dos dois vice-ministros, Noda, 53 anos, é o encarregado de finanças internacionais, e eventualmente representava Kan em eventos no exterior.

Ambos compartilham de ideias sobre rigor fiscal, como a necessidade de limitar e, 44,3 trilhões de ienes (479 bilhões de dólares) as emissões de novos títulos públicos para o ano fiscal que começa em abril de 2011. O Japão precisa conter seu endividamento, que gira em torno de 200 por cento do PIB.

Satoshi Arai, assessor de Hatoyama e supostamente ligado a Kan, pode ser escolhido como ministro da Estratégia Nacional, disse o Yomiuri. Nesse cargo, ele seria responsável pelas diretrizes orçamentárias de longo prazo. Iria para o lugar de Yoshito Sengku, que, de acordo com a imprensa local, deve se tornar chefe de gabinete.

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG