Os chefs japoneses ligados à associação Relais & Château, que reúne 500 dos restaurantes mais caros do mundo, reagiram mal à determinação da entidade de não servir mais o atum vermelho do Atlântico. A espécie estaria prestes a se tornar uma espécie protegida, o que proibiria seu comércio internacional.

Para os chefs japoneses, proibir o uso do atum traria grande prejuízo aos restaurantes. O Japão é o maior consumidor mundial do atum vermelho: foram consumidas 48 mil toneladas do peixe em 2008, metade proveniente das águas do Atlântico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.