Tamanho do texto

SÃO PAULO - A Nextel anunciou hoje que irá investir US$ 100 milhões até o final do ano para expandir suas operações para a região Nordeste do Brasil. Esse valor se soma aos US$ 750 milhões que a companhia alocou neste ano para investimentos na região da América Latina, da qual o Brasil é o maior mercado. A empresa irá levar seu serviço às regiões metropolitanas de Salvador (BA), Recife (PE) e Fortaleza (CE), além de Vitória (ES), completando sua presença em todos os estados da região Sudeste.

De acordo com a Nextel, há espaço para novos investimentos na região Nordeste no ano que vem, uma vez que os US$ 100 milhões anunciados hoje são apenas para implantar e preparar a operação, disse o presidente da companhia no país, Sérgio Chaia.

Embora não revele o quanto dos US$ 750 milhões originais eram destinados ao país, o vice-presidente de Finanças da operação brasileira, João Marcos Cerqueira, revela que em agosto do ano passado, a Nextel captou US$ 300 milhões no mercado para financiar investimentos no Brasil no fim de 2007 e começo deste ano.

Segundo Chaia, a expansão foi decidida por conta não apenas do crescimento econômico da região, mas também por demanda dos atuais clientes da Nextel. Segundo ele, muitas empresas que utilizam o sistema em outras partes do país têm operações no Nordeste e já pressionavam para que o serviço fosse estendido para os principais estados da região.

Chaia explica que o investimento adicional no país neste ano - o equivalente a cerca de US$ 20 milhões por mês entre agosto e dezembro - foi aprovado pela matriz norte-americana com base na forte expansão do mercado brasileiro. O Brasil é o grande motor do crescimento da nossa empresa, hoje e no futuro, afirmou o executivo. Com esses recursos queremos preparar nossa chegada no Nordeste, e temos planos de investir cada vez mais. O Brasil é a grande prioridade de investimentos da NII (controladora da Nextel Brasil), acrescentou.

O ritmo de expansão de clientes da companhia é significativo nos últimos anos. Em 2006, o aumento foi de 39% na comparação com 2005, acelerando-se para 43% entre 2006 e 2007. No segundo trimestre de 2008, a taxa de expansão ante igual período de 2007 já é de mais de 40%, afirma Chaia.

Segundo o presidente da companhia no país, a extensão do serviço ao Nordeste não deverá gerar crescimento apenas na região, mas também em outros estados. Nas contas da Nextel, pouco mais de um terço dos novos negócios serão com clientes sem nenhuma relação prévia com a empresa. Os outros dois terços virão de companhias que já trabalham com a Nextel e de suas parceiras. As primeiras devem ampliar o número de aparelhos para utilizá-los em suas operações na região, e as outras para integrar melhor seus processos aos daquelas que já são clientes da Nextel em outros estados.

De acordo com Cerqueira, a idéia do investimento no Nordeste não é obter retorno rápido. Certamente não é uma estratégia de curto prazo, diz ele. A intenção da companhia é, na verdade, expandir sua área de cobertura para atender uma parcela maior do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Atualmente, as regiões atendidas pela Nextel respondem pela geração de 52% do PIB nacional. Ao fim do ano que vem, com a expansão planejada no Nordeste, a idéia é alcançar 62%. Há um grande espaço. Em outros mercados que atuamos, nossa cobertura chega a atingir mais de 70% dos PIBs locais, afirma Cerqueira.

A empresa, afirma o vice-presidente de Finanças, não decidiu ainda como irá financiar o investimento adicional no país. Segundo ele, porém, a Nextel tem em caixa cerca de US$ 1,3 bilhão, contando suas operações na América Latina. Assim, tanto poderia captar os recursos no mercado, como aplicar capital próprio, o que segundo Cerqueira faz todo o sentido.

Atualmente, a Nextel tem 1,5 milhão de usuários em uma área de cobertura que, ao fim deste ano, chegará a 225 cidades dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Goiás e no Distrito Federal.

(José Sergio Osse | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.