Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Negociação para reajuste do preço do minério deve demorar, crê Agnelli

RIO - O presidente da Vale, Roger Agnelli, não acredita que a negociação para o reajuste dos preços do minério de ferro começará no curto prazo. Depois de conseguir aumentos expressivos no preço do minério nos últimos anos, a Vale enfrenta um cenário de desaquecimento global que a levou a cortar a partir de 1º de novembro a produção de minério de ferro em 30 milhões de toneladas anuais.

Valor Online |

"Vai demorar (o começo das negociações). Ninguém tem condições hoje de negociar nada", afirmou Agnelli, que participou hoje do seminário "O Valor da Moda", promovido pelo Valor em paralelo ao Rio Summer.

O executivo confirmou que as siderúrgicas estão reduzindo a produção de aço. Ele admitiu que a ArcelorMittal está diminuindo a fabricação de aço "em um ritmo fortíssimo". "Como é que eu vou querer que eles (ArcelorMittal) honrem o contrato? Tem um contrato, tem um volume acertado, mas onde a empresa vai pôr (o minério)? Temos que entender que há um problema e que nós temos que respeitar", ressaltou.

Durante sua apresentação no seminário, Agnelli exaltou as condições da economia brasileira e notou que o país está em boa situação quando comparado com outras economias. Nesse sentido, ponderou que as empresas brasileiras têm condições de enfrentar a crise e confirmou ter visitado as principais agências de classificação de risco esta semana, quando esteve em Nova York.

De acordo com ele, o objetivo da mineradora foi questionar as agências a respeito a possíveis elevações na nota de risco. Agnelli afirmou que "não descansará" enquanto a Vale não atingir a nota "AAA", máximo grau de investimento.

"A Vale está em posição maravilhosa. Tem que ter um upgrade. Assim como o sistema financeiro brasileiro merece um upgrade", disse, acrescentando que algumas empresas que possuem AAA tiveram sérios problemas financeiros durante a crise atual. "A Vale está muito bem quando comparada com outras empresas do mundo", destacou.

(Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG