Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Euro sobe para US$ 1,4898 em Frankfurt

Frankfurt (Alemanha), 14 ago (EFE).- O euro subiu hoje no mercado de Frankfurt e por volta das 12h de Brasília fechou a US$ 1,4898, frente ao US$ 1,4870 da quarta-feira.

EFE |

Essa marca só foi ultrapassada em dezembro de 2007, quando os brasileiros efetuaram 567 milhões de compras (10% a mais do que em julho) e gastaram R$ 37 bilhões.

Em julho, o valor movimentado pelas transações com cartão foi de R$ 31,7 bilhões, soma 25% maior que a registrada no mesmo período do ano passado. O valor médio de cada compra também cresceu. Passou de R$ 60, em 2007, para R$ 62, agora. "Os resultados são reflexo principalmente da expansão da economia brasileira e do aumento do emprego e da renda do trabalhador", diz Marcelo Noronha, diretor de Comunicação da Abecs.

Outros três fatores ajudaram o mercado a se desenvolver: o número de estabelecimentos que aceitam cartões aumentou, mais pessoas trocaram os cheques por essa modalidade de pagamento e novos consumidores tiveram acesso ao sistema bancário. No último ano, 56 milhões de novos cartões passaram a circular no mercado. "A população de baixa renda foi a principal responsável por engrossar a base. Esse público foi trazido para o mercado de cartões principalmente pelas lojas, com os private labels", informa Noronha.

Com mais cartões na praça, o volume de recursos destinado a essa modalidade de crédito também foi ampliado. Do total de R$ 360,9 bilhões em financiamentos destinados a pessoa física no primeiro semestre de 2008, 16% ( R$ 58 bilhões) foram concedidos via cartão. O valor supera em R$ 4 bilhões o resultado do mesmo período de 2007.

O comércio agradece. Dados da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio) mostram que o faturamento do setor subiu 5,5% em junho. "O crédito é a nossa força motriz, e o cartão responde por boa parte dos financiamentos feitos nas lojas", afirma Fernanda Della Rosa, gerente do Departamento Econômico da Fecomercio. "A prova disso é que os segmentos que não oferecem aos consumidores o cartão como forma de pagamento acabam crescendo menos que os outros." Entretanto, a facilidade de financiar uma compra pelo cartão é uma via de mão dupla. Pesquisa da Fecomercio mostra que 53% dos paulistanos estavam endividados em julho. Entre eles, 45% contraíram dívida pelo cartão.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG