Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Nasdaq cai antes do balanço da Intel; Dow Jones oscila

As Bolsas norte-americanas oscilam, com investidores divididos entre as preocupações relacionadas à recessão nos EUA e o entusiasmo com o anúncio de novas medidas pelo governo norte-americano. O índice Nasdaq opera em baixa praticamente desde a abertura, antes da divulgação do balanço da gigante Intel, previsto para depois do encerramento dos negócios em Nova York.

Agência Estado |

Os balanços das companhias chamam atenção dos investidores nesse momento, por sinalizarem os potenciais efeitos da crise financeira sobre a economia.

As ações de instituições financeiras dão suporte aos índices Dow Jones e S&P 500 mostrando que os investidores receberam bem as medidas anunciadas hoje pelo governo dos EUA para garantir nova dívida emitida pelos bancos e para injetar recursos por meio da compra de participação nas instituições. O governo também vai ampliar a garantia a contas não remuneradas. O Tesouro disse que irá investir US$ 250 bilhões em nove grandes instituições financeiras, por meio da compra de ações.

Entretanto, o temor sobre o efeito da crise nas economias amenizou os ganhos. Às 11h58 (de Brasília), o Dow Jones operava em alta de 0,15% e S&P 500 caía 0,13%%. O Nasdaq cedia 2,16%. Entre os papéis que mais perdiam estavam os da Amazon (-5%), Google (-3%), Microsoft (-4%) e da própria Intel (-4,6%).

Os analistas entrevistados pela Thomson Reuters esperam que a Intel tenha lucro de US$ 0,34 por ação sobre uma receita de US$ 10,27 bilhões no terceiro trimestre deste ano, de um lucro de US$ 0,31 por ação sobre uma receita de US$ 10,09 bilhões registrados em igual período do ano passado. Em julho, a Intel previa uma receita entre US$ 10 bilhões e US$ 10,6 bilhões para o terceiro trimestre.

No setor financeiro, os bancos regionais Key Corp e o National City Corp saltaram 31% e 36,5%, respectivamente. As instituições regionais vinham sendo fortemente abatidas por preocupações dos investidores quanto à disponibilidade de capital.

Morgan Stanley (alta de 21%), Merrill Lynch (18%) e Bank of America (13%) também estavam entre os maiores ganhos. Executivos das três instituições estavam ontem no encontro com o Tesouro dos EUA, o Federal Reserve (Fed, banco central americano) e as agências reguladoras que definiu os detalhes de tal plano. O The Wall Street Journal disse ontem que nove bancos devem receber recursos do Tesouro, pelo programa anunciado hoje, entre os quais estão o Morgan Stanley, o Merrill Lynch e o Bank of America.

O Bank of New York Mellon anunciou, em comunicado, que o Tesouro irá adquirir US$ 3 bilhões em ações e títulos de garantia. Suas ações subiam 8%. As informações são da Dow Jones e agências internacionais.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG