Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Naftogaz e Gazprom trocam acusações sobre queda em envio de gás à Europa

Kiev/Moscou, 4 jan (EFE).- A companhia ucraniana Naftogaz acusou hoje a Rússia de reduzir em um sexto o bombeamento de gás para a Europa, enquanto a russa Gazprom denunciou que o insumo foi desviado pela Ucrânia.

EFE |

A Naftogaz afirmou que a empresa russa comunicou-lhe que reduzirá em 52 milhões de metros cúbicos ao dia, de 72 milhões para 20 milhões, o bombeamento de gás pelo gasoduto Soyuz, um dos quatro maiores da Ucrânia que chegam à Europa.

"A Gazprom descumpre seus compromissos com a União Européia (UE)", diz o comunicado divulgado pela Naftogaz, que acrescenta que, embora a companhia russa aumente o bombeamento por outros gasodutos, tecnicamente a Ucrânia não poderá redistribuir esse volume entre os países destinatários.

A nota exige que a Gazprom "deixe de manipular" os volumes e destinos do gás exportado, sincronize o trabalho dos gasodutos russos, ucranianos e europeus e volte às negociações com a Naftogaz sobre os contratos referentes a 2009.

Em Moscou, a empresa russa denunciou que foi a Ucrânia que, nas últimas 24 horas, desviou aproximadamente 50 milhões de metros cúbicos do gás russo destinado à Europa, um sexto dos cerca de 300 milhões de metros cúbicos exportados diariamente por territórios ucranianos.

O porta-voz da Gazprom, Serguei Kuprianov, declarou que sua companhia bombeou para a Ucrânia 295 milhões de metros cúbicos de gás, enquanto a Naftogaz, em sua fronteira oeste, entregou apenas 270 milhões, ficando indevidamente com 25 milhões de metros cúbicos.

Além disso, segundo Kuprianov, a Naftogaz se recusou a repassar outros 25 milhões de metros cúbicos de gás armazenado em seus depósitos subterrâneos à companhia RosUkrEnergo, que tem metade de seu capital controlado pela Gazprom e que, até o fim de 2008, intermediava a venda do gás russo à Ucrânia.

"Desta forma, só nas últimas 24 horas, os consumidores europeus, por culpa da Ucrânia, deixaram de receber 50 milhões de toneladas de metros cúbicos" de gás, disse o porta-voz, segundo a agência "RIA Novosti".

Kuprianov pediu à Comissão Européia (CE, órgão executivo do bloco europeu) que supervisione o transporte de gás russo pela Ucrânia, ao denunciar que a Naftogaz impede a entrada de observadores independentes em suas estações de bombeamento. Além disso, convidou Kiev a retomar as negociações com Moscou. EFE bk/sc

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG