Uma pesquisa de opinião pública contratada pelo Instituto Impacto documentou no ano passado um desejo implícito dos moradores de Santos, Guarujá e toda a Baixada Santista: o de uma ligação terrestre entre as duas cidades. A obra foi considerada a mais importante entre os moradores de ambos os municípios e aprovada por 83,9% dos entrevistados quando questionados se eram a favor de um túnel submarino.

"A necessidade de uma ligação por terra é ponto pacífico", afirmou o especialista em transportes Kenji Kanashiro, que coordena o curso de Engenharia Civil da Universidade Católica de Santos (Unisantos). "Já se trabalha com esse sistema de balsa há muito tempo. A questão é se a ligação seria via ponte ou via túnel. Eu, como técnico e morador de Santos, acho que seria mais interessante que se fizesse através de túnel. O Brasil já está com bastante tecnologia nesse sentido."

A presidente do Santos e Região Convention & Visitors Bureau, Lúcia Maria Teixeira Furlani, afirma que a obra impulsionaria o turismo, especialmente o corporativo, de negócios. "As pessoas poderiam estar hospedadas tanto no Guarujá como em Santos e participando de eventos na outra cidade. Um túnel traria um aumento da capacidade dos hotéis. Toda a região tem 16 mil leitos, só no Guarujá são quase 9 mil", afirma Lúcia, lembrando que, embora a instalação do equipamento tenha um lado negativo, como a necessidade de fazer alterações viárias no Guarujá, os aspectos positivos são superiores. "Já temos uma demanda muito alta para as balsas até fora da temporada."

Apesar de ser um incentivador da ideia, o presidente da Associação Comercial e Empresarial do Guarujá, Marcelo Stuque, diz temer que a tarifa cobrada pela concessionária vencedora da licitação seja demasiadamente cara. Ele pede que a o projeto seja amplamente discutido "Já é um roubo cobrarem R$ 7,50 para uma travessia de balsa de 500 metros. A sociedade tem que ficar atenta. Não pode deixar acontecer aqui o que aconteceu na Imigrantes, com o pedágio de R$ 17", disse o empresário.

Entre os aspectos positivos do projeto, ele vê o fim dos problemas dos comerciantes da Avenida Adhemar de Barros, que por causa das filas das balsas têm o acesso aos seus estabelecimentos prejudicados. "Com certeza um túnel daria vida nova ao Guarujá, que se tornaria um bairro de Santos, uma cidade dormitório de Santos. Isso aqueceria o setor imobiliário da cidade, pois Santos não tem mais para onde crescer, e também impulsionaria o comércio fora da temporada", completa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.